Eduardo Bolsonaro contrata perito de Temer para rebater denúncia por ameaça contra jornalista

O perito Ricardo Molina foi contratado pelo deputado federal Eduardo Bolsonaro (PSL-SP) para fazer um parecer que ajude na defesa contra a denúncia de crime de ameaça apresentada pela Procuradoria-geral da República no Supremo Tribunal Federal (STF), pela ameaça feita contra a jornalista Patrícia Lélis  

Eduardo Bolsonaro contrata perito de Temer para rebater denúncia por ameaça contra jornalista
Eduardo Bolsonaro contrata perito de Temer para rebater denúncia por ameaça contra jornalista (Foto: Fabio Rodrigues Pozzebom/Agência Brasil)

247 - O perito Ricardo Molina foi contratado pelo deputado federal Eduardo Bolsonaro (PSL-SP) para ajudar na defesa contra a denúncia de crime de ameaça apresentada pela Procuradoria-geral da República no Supremo Tribunal Federal (STF).

Molina ficou conhecido por ser o perito do caso da morte de PC Farias e, no ano passado, foi contratado pelo então presidente Michel Temer para realizar uma perícia particular na gravação feita pelo empresário Joesley Batista em que Temer apareceu avalizando o pagamento para garantir o silêncio de Eduardo Cunha.

O filho do presidente contratou Molina para preparar um parecer para a sua defesa. A denúncia é com base no depoimento da jornalista Patrícia Lélis, que disse ter sido ameaçada por Eduardo em 2017 para que não mais se pronunciasse sobre uma discussão que os dois travaram no Facebook.

Lélis apresentou à polícia um vídeo com o registro da suposta troca de mensagens entre ela e Eduardo no aplicativo Telegram, que apaga automaticamente as mensagens um tempo depois de lidas.

Segundo reportagem do UOL, o deputado diz que a conversa pelo aplicativo de telefone celular nunca existiu e que Lélis tem um histórico de apresentar denúncias falsas contra outras pessoas. Uma das mensagens citadas na denúncia, Bolsonaro afirma: "Sua otária! Quem vc pensa que é? Tá se achando demais. Se vc falar mais alguma coisa eu acabo com sua vida".

Em outro trecho do diálogo entregue às autoridades, o número atribuído a Eduardo Bolsonaro afirma: "Depois reclama. Que apanho [sic]. Vc merece mesmo. Abusada".

No parecer de Molina, ele afirma que a indicação do número de telefone do deputado na conversa pelo aplicativo não indica que de fato Eduardo Bolsonaro era o interlocutor, pois a identificação do contato poderia ser facilmente alterada.

Para o perito, as imagens do diálogo não podem ser consideradas como prova.

A PGR oficiou às companhias telefônicas e identificou que o número que aparece na troca de mensagens pertence a Eduardo Bolsonaro. Apesar disso, a defesa de Eduardo Bolsonaro argumenta que a troca de mensagens foi forjada.

 

Conheça a TV 247

Mais de Brasil

Ao vivo na TV 247 Youtube 247