Eleitores de Bolsonaro acham que ele deve aceitar a derrota, diz pesquisa

De acordo com levantamento Genial/Quaest, 68% dos bolsonaristas responderam que Jair Bolsonaro deve aceitar o resultado das urnas

www.brasil247.com - Jair Bolsonaro, Supremo Tribunal Federal e uma urna eletrônica
Jair Bolsonaro, Supremo Tribunal Federal e uma urna eletrônica (Foto: Agência Brasil)


247 - Até mesmo eleitores de Jair Bolsonaro dizem que ele deve respeitar o resultado das urnas nas eleições presidenciais. 

De acordo com a pesquisa Genial/Quaest feita entre 5 e 8 de maio, 68% dos bolsonaristas responderam que ele deve "aceitar a derrota". A informação é destacada na coluna da jornalista Mônica Bergamo na Folha de S.Paulo.

Entre eleitores que desejam a vitória de Lula (PT), o percentual sobe para 92%. E 93% dos que não querem ver "nem Bolsonaro, nem Lula" eleitos querem que o atual presidente aceite eventual fracasso nas urnas.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

No conjunto do eleitorado, 85% acreditam que Bolsonaro deve aceitar a derrota.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Entre os mais jovens, de 16 a 24 anos, o percentual chega a 91%. Já entre os que têm mais de 60 anos, ele cai para 78%.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Assine o 247, apoie por Pix, inscreva-se na TV 247, no canal Cortes 247 e assista:

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Apoie o 247

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Cortes 247

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
WhatsApp Facebook Twitter Email