Eleonora Menicucci: Bolsonaro tem mostrado que é conivente com a tortura

Ex-ministra, que foi presa política e torturada durante a ditadura militar, inclusive pelo coronel Ustra, criticou as falas de Jair Bolsonaro em homenagem ao torturador. “Esse homem tem reiteradamente mostrado que é conivente com a ditadura militar, conivente com a tortura”, afirmou Menicucci em entrevista à TV 247. Assista

247 - A ex-ministra da Secretaria de Política para as Mulheres Eleonora Menicucci conversou com a TV 247 sobre o posicionamento do governo em defesa da ditadura. Presa política durante o regime militar e torturada pelo coronel Carlos Alberto Brilhante Ustra, visto como herói por Jair Bolsonaro, Menicucci afirmou que o presidente é conivente com a tortura. Ela também avaliou que a ação da OAB e do Instituto Vladimir Herzog contra Bolsonaro na ONU por esse comportamento antidemocrático reforça a luta pelos direitos humanos.

“Em menos de duas ou três semanas o Bolsonaro, na semana em que se comemorava os 40 anos da Lei da Anistia, faz uma homenagem ao Ustra, além daquela horrorosa que ele fez no dia da votação do impeachment/golpe da presidenta Dilma. Ele faz um elogio ao Ustra, o maior torturador e que eu fui torturada por ele. Eu. Não é ficção científica e ninguém está contando a minha história por mim. Eu”, destacou.

“Esse homem tem reiteradamente mostrado que é conivente com a ditadura militar, conivente com a tortura. Ele pode não ter participado de 64, 68 e 70 mas é conivente”, completou.

Menicucci ainda comentou sobre a ação movida pela OAB (Ordem dos Advogados do Brasil) e pelo Instituto Vladimir Herzog nas Nações Unidas contra Bolsonaro pelos retrocessos à democracia e por fazer apologia à ditadura. Para ela, a iniciativa não terá efeitos práticos, ou seja, não influenciará nas atitudes de Bolsonaro em defesa da ditadura, mas tem grande importância e valor simbólico.

“Do ponto de vista do impacto direto na mudança de linha do Bolsonaro eu acho que é nula, é triste, é doloroso. ‘Não houve ditadura, não houve tortura e a Terra é plana’, nisso eu insisto: houve ditadura, houve tortura e eu estou aqui. Do ponto de vista simbólico e da luta em defesa dos direitos humanos, pelo resgate integral dessa pauta ela é muito importante. Tenho certeza que ela contribuirá muito”, analisou.

Inscreva-se na TV 247 e assista à entrevista na íntegra:

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247