Em 2010, foram apreendidos 18 milhões de remédios

Operaes conjuntas da PF, da Polcia Rodoviria Federal e da Anvisa para apreenses de medicamentos falsificados aumentaram de 10 para 60 de 2007 para 2010

www.brasil247.com - Em 2010, foram apreendidos 18 milhões de remédios
Em 2010, foram apreendidos 18 milhões de remédios (Foto: Divulgação)


Foram apreendidos 18 milhões de medicamentos irregulares no Brasil em 2010, segundo informações do Ministério da Justiça. As operações conjuntas da Polícia Federal, da Polícia Rodoviária Federal e da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) para apreensões de medicamentos falsificados aumentaram de 10 para 60 de 2007 para 2010. Já os locais inspecionados durante as operações aumentaram nove vezes, de 136 para 1.245.

Os estados com maiores apreensões no ano passado foram a Bahia, com 15 milhões de comprimidos, e o Distrito Federal, com 749 mil comprimidos. Entre os produtos apreendidos estão remédios falsificados, contrabandeados, sem registro, vencidos ou impróprios.

Dentre os medicamentos falsificados e os contrabandeados mais encontrados no Brasil estão os usados para tratamento da disfunção erétil, os anabolizantes e os para obesidade. Relatório produzido pelo Conselho Nacional de Combate à Pirataria (CNCP) revela que os produtos falsificados não são encontrados apenas no mercado informal, mas em farmácias, drogarias e lojas.

O aumento das apreensões, segundo o Ministério, é resultado de um acordo assinado entre o Ministério da Justiça, por meio do (CNCP), e Anvisa em 2008 para melhoria do processo de fiscalização e punição. O acordo está entre os objetivos estratégicos do Plano Nacional de Combate à Pirataria.

O conhecimento liberta. Quero ser membro. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Apoie o 247

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

Cortes 247

WhatsApp Facebook Twitter Email