Em aproximação ao DEM, Bolsonaro convida até condenado para governo

Além de já ter anunciado o coordenador de campanha Onyx Lorenzoni como chefe da Casa Civil em seu eventual governo, o presidenciável Jair Bolsonaro (PSL) teve um encontro com representantes da bancada da bala e fez acenos a outros dois políticos do DEM: Pauderney Avelino (AM) e Alberto Fraga (DF); este último foi condenado por cobrança de propina no Distrito Federal

Em aproximação ao DEM, Bolsonaro convida até condenado para governo
Em aproximação ao DEM, Bolsonaro convida até condenado para governo (Foto: Dir.: Cleia Viana - Câmara)

247 - Além de já ter anunciado o coordenador de campanha Onyx Lorenzoni como chefe da Casa Civil em seu eventual governo, o presidenciável Jair Bolsonaro (PSL) teve um encontro com representantes da bancada da bala e fez acenos a outros dois políticos do DEM: Pauderney Avelino (AM) e Alberto Fraga (DF). Este último foi condenado por cobrança de propina no Distrito Federal.

"Já anuncio aqui que quem vai coordenar a bancada no Planalto vai ser o Fraga", disse Bolsonaro, em vídeo divulgado pelo deputado. O parlamentar, por sua vez, disse que não houve conversas sobre cargos e o que existe é uma "identificação pessoal" do candidato com alguns nomes da legenda, de acordo com informação de Veja.

Bolsonaro já havia anunciado o coordenador de campanha Onyx Lorenzoni como chefe da Casa Civil em seu eventual governo.

Condenação de Fraga

O Tribunal de Justiça do Distrito Federal condenou, no dia de setembro, o deputado Alberto Fraga (DEM), por concussão – uso do cargo público para obter vantagem indevida. De acordo com a denúncia do Ministério Público, Fraga pediu e recebeu R$ 350 mil para firmar um contrato entre o governo do Distrito Federal e a cooperativa de ônibus Coopertran em 2008, quando era secretário de Transportes da gestão de José Roberto Arruda (PR).

O democrata foi condenado a 4 anos, 2 meses e 20 dias de prisão, em regime inicial semiaberto, além de 14 dias-multa. O Judiciário informou que a pena foi aumentada por conta do cargo público ocupado por ele.

Em nota, a assessoria de Fraga afirmou que a decisão como "uma ação totalmente política". "Enquanto os processos demoram anos para serem julgados o de Fraga tramitou em apenas dois dias. É no mínimo estranho", diz o texto.

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247