Em encontro com sertanejos, Bolsonaro recebe pedido de fim da meia-entrada

Em cerimônia esvaziada no Planalto, Jair Bolsonaro recebeu algumas duplas sertanejas que foram manifestar "apoio" ao governo e pedir o fim da meia-entrada para estudantes em eventos culturais

(Foto: Antonio Cruz/ Agência Brasil)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - Diante de uma forte reação de diversos artistas, produtores e intelectuais contra a censura e a política de desmonte, o governo Jair Bolsonaro recebeu um grupo de cantores sertanejos - em sua maioria donos de fazendas - nesta quarta-feira (29), em uma cerimônia no Palácio do Planalto.

De acordo com o jornal O Globo, o cerimonial da Presidência teve que convocar os servidores para preencher as cadeiras vazias no Salão Nobre do Planalto.

Durante o evento foi lida uma carta de "apoio" ao governo que diz que Bolsonaro realizou "notáveis feitos" em "diversos setores produtivos" e é um "um governante que trabalha em prol de seu povo".

Um representante de produtores de evento aproveitou para pedir que o governo acabe com a meia-entrada para estudantes.

"Meio livro não existe, meia bicicleta não existe. Não pode o Estado brasileiro intervir na economia e tomar 50% sem nenhum tipo de compensação", reclamou Doreni Caramori Junior, afirmando que a meia-entrada, que dá desconto de 50% para estudantes em eventos culturais e cinema, é uma "injustiça histórica".

De acordo com a legislação, 40% dos ingressos de um evento devem ser destinados à meia-entrada. A partir disso, os promotores podem cobrar o valor total.

O ato contou com a presença das duplas Bruno e Marrone e Cesar Menoti e Fabiano, além de Cristiano (da dupla com Zé Neto) e do ator Dedé Santana, ex-integrantes do Trapalhões.

Bolsonaro também aproveitou para agradecer o apoio dos sertanejos durante a campanha. Disse ainda que irá na festa de Barretos desse ano, assim como no ano passado.

Participe da campanha de assinaturas solidárias do Brasil 247. Saiba mais.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247