Em evento sobre a Covid-19, Bolsonaro ignora os mais de 114 mil mortos e chama jornalistas de "bundões"

Ao participar do evento intitulado "Vencendo a Covid-19", Jair Bolsonaro não fez qualquer menção aos quase 115 mil mortos pela doença no país e voltou a atacar os jornalistas. “Quando pega num bundão de vocês a chance de sobreviver é bem menor", disse

www.brasil247.com - Jair Bolsonaro
Jair Bolsonaro (Foto: REUTERS/Adriano Machado)


247 - Com o Brasil registrando mais de 114 mil mortes em função da pandemia do novo coronavírus, Jair Bolsonaro participou de um evento, intitulado "Vencendo a Covid-19", nesta segunda-feira (24), no Palácio do Planalto. Durante sua participação, Bolsonaro não fez qualquer menção às vítimas da Covid-19 e voltou a atacar os jornalistas. “Quando pega num bundão de vocês a chance de sobreviver é bem menor", disse. Neste domingo ele disse ter vontade de “encher de porrada” a boca de um jornalista. 

Nesta segunda, Bolsonaro - que já foi contaminado pela Covid-19 - relembrou que foi criticado ao dizer que seu “histórico de atleta” ajudava a impedir complicações de saúde derivadas do novo coronavírus e que virou alvo do “deboche da mídia” ao mencionar o fato. "Aquela história de atleta né, que o pessoal da imprensa vai para o deboche, mas quando pega num bundão de vocês a chance de sobreviver é bem menor", disparou. 

Ainda segundo ele, os jornalistas sabem "fazer maldade" e "usar a caneta com maldade em grande parte". Apesar disso, ele citou o jornalista Alexandre Garcia – que vem atuando como uma espécie de porta-voz informal do governo – como uma “exceção”. "Tem exceções como aqui o Alexandre Garcia. A chance de [um jornalista] sobreviver é bem menor do que a minha. E quem falou 'gripezinha' foi o Dráuzio Varella, deixar bem claro. E depois eu fui atrás", disse. 

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

No evento, organizado pelo assessor da Casa Civil Arthur Weintraub para promover o uso da hidroxicloroquina e da cloroquina no combate à Covid-19, apesar do uso destes medicamentos não serem indicados por órgãos como a Organização Mundial de Saúde (OM), Bolsonaro afirmou que “se a hidroxicloroquina não tivesse sido politizada, muito mais vidas poderiam ter sido salvas dessas 115 mil perdidas”. erdidas”. 

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Apoie o 247

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Cortes 247

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
WhatsApp Facebook Twitter Email