Em nome de Lula, Alckmin pede que Sebrae adie para fevereiro a eleição de sua nova diretoria

Geraldo Alckmin, vice-presidente eleito, pediu o adiamento do pleito como forma de assegurar um relacionamento produtivo e harmonioso entre o novo governo e a direção do órgão

www.brasil247.com - Geraldo Alckmin
Geraldo Alckmin (Foto: REUTERS/Carla Carniel)


Agenda do Poder - Em nome do presidente eleito Luiz Inácio Lula da Silva e na condição de coordenador da equipe de transição para o novo governo, que toma posse no dia primeiro de janeiro, o vice-presidente eleito Geraldo Alckmin enviou um ofício à direção nacional do Sebrae (Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas) solicitando um adiamento excepcional da eleição da presidência nacional do órgão, de suas direções regionais.

O atual presidente nacional do Sebrae, Carlos Melles, vinha preparando a sua candidatura à reeleição.

Alckmin justifica o adiamento do pleito como forma de assegurar um relacionamento produtivo e harmonioso entre o novo governo e a direção deste órgão que é fundamental para o estímulo e o apoio – privado e governamental – ao empreendedorismo brasileiro.

Alckmin afirma que, “tendo em vista que a cooperação entre o setor produtivo e o poder público é indispensável para o bom funcionamento do sistema, encaminho esta comunicação para requerer alteração do cronograma previsto para o processo eleitoral que impacta o Conselho Deliberativo Nacional e, em especial, a diretoria  executiva do Sebrae em horizonte temporal próximo".

Assim, Alckmin afirma que “a equipe de transição requer o adiamento do processo eleitoral em curso, com consequente prorrogação dos mandatos respectivos, preferencialmente até fevereiro de 2023, já que a harmonia entre o setor produtivo e o poder público é imprescindível para a promoção da pauta do empreendedorismo e do fortalecimento das micro e pequenas empresas”.

Assine o 247, apoie por Pix, inscreva-se na TV 247, no canal Cortes 247 e assista: 

 

O conhecimento liberta. Quero ser membro. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Apoie o 247

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

Cortes 247