Em nota, Odebrecht esclarece palestras de Lula, FHC e Felipe González

Companhia afirma que "é de conhecimento público e já esclarecido inúmeros vezes para a imprensa (...) que nossa empresa patrocinou, sim, algumas palestras de ex-presidentes (Fernando Henrique Cardoso, Lula e o espanhol Felipe Gonzalez) no Brasil e no exterior. São ações remuneradas para participações em eventos públicos, absolutamente legítimas e transparentes"; segundo a Odebrecht, que respondeu a uma reportagem do Globo, "não há nada de ilegal ou 'sigiloso' nestes programas"

Companhia afirma que "é de conhecimento público e já esclarecido inúmeros vezes para a imprensa (...) que nossa empresa patrocinou, sim, algumas palestras de ex-presidentes (Fernando Henrique Cardoso, Lula e o espanhol Felipe Gonzalez) no Brasil e no exterior. São ações remuneradas para participações em eventos públicos, absolutamente legítimas e transparentes"; segundo a Odebrecht, que respondeu a uma reportagem do Globo, "não há nada de ilegal ou 'sigiloso' nestes programas"
Companhia afirma que "é de conhecimento público e já esclarecido inúmeros vezes para a imprensa (...) que nossa empresa patrocinou, sim, algumas palestras de ex-presidentes (Fernando Henrique Cardoso, Lula e o espanhol Felipe Gonzalez) no Brasil e no exterior. São ações remuneradas para participações em eventos públicos, absolutamente legítimas e transparentes"; segundo a Odebrecht, que respondeu a uma reportagem do Globo, "não há nada de ilegal ou 'sigiloso' nestes programas" (Foto: Gisele Federicce)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 – A Odebrecht esclareceu, em nota divulgada no jornal O Globo nesta segunda-feira 13, ter pagado por uma viagem de Lula em 2013 porque o ex-presidente realizou uma palestra "para empresários, investidores, políticos e formadores de opinião". O roteiro da viagem passou por Cuba, República Dominicana e Estados Unidos, conforme noticiou o Globo neste domingo 12.

Lula viajou acompanhado do diretor de Relações Institucionais da construtora, Alexandrino Alencar, que é apontado por três delatores da Lava Jato como sendo o operador do pagamento de propinas para a empreiteira no exterior. Segundo a Líder Táxi Aéreo, responsável pelo voo em que estava Lula, foi pedido sigilo pela contratante.

O Instituto Lula confirmou a palestra concedida pelo ex-presidente e esclareceu que nem sempre a organização divulga na agenda oficial a participação do petista em eventos privados. Questionado sobre seu relacionamento com Lula, Alexandrino Alencar respondeu que "conhece o ex-presidente Lula e sempre teve com ele uma relação de cordialidade e respeito".

Na nota, a Odebrecht afirma que "é de conhecimento público e já esclarecido inúmeros vezes para a imprensa (...) que nossa empresa patrocinou, sim, algumas palestras de ex-presidentes (Fernando Henrique Cardoso, Lula e o espanhol Felipe Gonzalez) no Brasil e no exterior. São ações remuneradas para participações em eventos públicos, absolutamente legítimas e transparentes", diz o texto.

Leia a íntegra:

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como:

• Cartão de crédito na plataforma Vindi: acesse este link

• Boleto ou transferência bancária: enviar email para [email protected]

• Seja membro no Youtube: acesse este link

• Transferência pelo Paypal: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo Patreon: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo Catarse: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo Apoia-se: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo Vakinha: acesse este link

Inscreva-se também na TV 247, siga-nos no Twitter, no Facebook e no Instagram. Conheça também nossa livraria, receba a nossa newsletter e ative o sininho vermelho para as notificações.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247