Em novo ataque homofóbico, Bolsonaro proíbe universo LGBT em campanhas estatais

Em reunião no Banco do Brasil com diversas agências de publicidade, determinou-se, por orientação do Planalto, que palavras como "lacrou" e outras ligadas ao universo LGBT estão proibidas de ser usadas em qualquer tipo de peça publicitária e de divulgação; determinação vale para todas as estatais e vem um dia após Bolsonaro ter barrado uma propaganda do Banco do Brasil

www.brasil247.com - Em novo ataque homofóbico, Bolsonaro proíbe universo LGBT em campanhas estatais
Em novo ataque homofóbico, Bolsonaro proíbe universo LGBT em campanhas estatais (Foto: Esq.: Adriano Machado - Reuters / Dir.: Marcelo Camargo - ABR)


247 - Em reunião no Banco do Brasil com inúmeras agências de publicidade, determinou-se, por orientação do Planalto, que palavras como "lacrou" e outras ligadas ao universo LGBT estão proibidas de serem usadas em qualquer tipo de peça publicitária e de divulgação. A informação é do colunista Maurício Lima, na coluna Radar. 

A determinação, uma espécie de "Dicionário da Censura" vale para todas as estatais.

Entenda 

Uma campanha publicitária do Banco do Brasil dirigida para o público jovem, divulgando o serviço de abertura de conta corrente por aplicativo no celular, foi retirada do ar por recomendação do presidente Jair Bolsonaro. O episódio também envolveu a saída do diretor de Comunicação e Marketing do banco, Delano Valentim, que atualmente está de férias.

Durante a manhã desta quinta-feira, Bolsonaro também disparou ataques à comunidade LGBT ao dizer que  "O Brasil não pode ser um país do mundo gay, de turismo gay. Temos famílias" (leia mais aqui).

O conhecimento liberta. Quero ser membro. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Apoie o 247

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

Cortes 247