Em vídeo, empresários defenderam Bolsonaro no 1° turno “para gastar menos dinheiro”

Em meio ao escândalo da compra de disparos em massa de notícias falsas contra Fernando Haddad pelo Whatsapp, o candidato Jair Bolsonaro (PSL) divulgou nesta sexta-feria, 19, vídeo que levanta mais suspeitas sobre sua campanha; nele, o empresário Luciano Hang, dono da Havan, uma das empresas que pagaram pela disseminação de mensagens contra o PT, aparece ao lado do empresário Mário Gazin, que defende o voto em Bolsonaro "para gastar menos dinheiro no segundo turno"; "No primeiro, Bolsonaro. Para não ter escolha, pra não ter que gastar mais dinheiro, pra não ficar todo mundo gastando no segundo turno. Então é no primeiro", diz Mário Gazin

Em vídeo, empresários defenderam Bolsonaro no 1° turno “para gastar menos dinheiro”
Em vídeo, empresários defenderam Bolsonaro no 1° turno “para gastar menos dinheiro”

247 - Em meio ao escândalo da compra de pacotes de disparo em massa de notícias falsas contra o candidato do PT a presidente, Fernando Haddad, que configura crime eleitoral, o candidato Jair Bolsonaro (PSL) divulgou nesta sexta-feria, 19, vídeo que levanta mais suspeitas sobre sua campanha. 

No vídeo, o empresário Luciano Hang, dono da Havan, uma das empresas que pagou para disparos em massa em mensagens contra o PT, aparece ao lado do empresário Mário Gazin, das lojas Gazin, que defende o voto em Bolsonaro "para gastar menos dinheiro no segundo turno". 

"No primeiro, Bolsonaro. Para não ter escolha, pra não ter que gastar mais dinheiro, pra não ficar todo mundo gastando no segundo turno. Então é no primeiro", diz Mário Gazin.

Nessa quinta-feira, 18, a coligação de Fernando Haddad ingressou no TSE com uma Ação de Investigação Judicial Eleitoral (Aije) contra a candidatura de Jair Bolsonaro (PSL), por tentar fraudar as eleições pela compra, feitas por empresas apoiadoras da campanha, de pacotes de disparos em massa de notícias falsas contra Haddad e o PT. Luciano Hang é um dos alvos da ação, que pede a quebra do seu sigilo telefônico e medidas de busca e apreensão (leia mais).  

Assista: 

Conheça a TV 247

Mais de Brasil

Ao vivo na TV 247 Youtube 247