Em vídeo, Weintraub prova ser uma figura grotesca

No dia em que 1,8 milhão de brasileiros foram às ruas para lutar por educação, o ministro Abraham Weintraub postou vídeo parodiando "Cantando na Chuva" para falar sobre uma "chuva de fake news contra o MEC"; com o vídeo, Weintraub provou não ter decoro para o cargo e ele será alvo de representação na PGR por tentar coagir professores e alunos a delatar – o que é uma prática nazista

Em vídeo, Weintraub prova ser uma figura grotesca
Em vídeo, Weintraub prova ser uma figura grotesca
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - No dia em que 1,8 milhão de brasileiros foram às ruas para lutar por educação, o ministro Abraham Weintraub postou vídeo parodiando "Cantando na Chuva" para falar sobre uma "chuva de fake news contra o MEC" com o vídeo, Weintraub provou não ter decoro para o cargo e ele será alvo de representação na PGR por tentar coagir professores e alunos a delatar – o que é uma prática nazista.

No vídeo, publicado em sua página no Twitter, portando um guarda-chuva e fazendo gestos grotescos que imitam o filme, Weintraub diz que "está chovendo fake news".

O ministro da Educação do governo direitista de Jair Bolsonaro tem chocado a nação e provocado forte reação de políticos, intelectuais, estudantes, professores e juristas com suas declarações ofensivas. Sua gestão desastrosa à frete do MEC está provocando revolta. Nos últimos 15 dias, por duas vezes estudantes foram às ruas defender a educação brasileira, sob ataque do governo.

Há também uma onda de repulsa à nota em que pediu a deduragem contra pais, alunos e professores que em estimulam e divulgam manifestações de protestos contra a política de ataques à educação no país.

A nota do MEC está sendo considerada uma declaração de guerra por políticos e foi chamada de "tresloucada" e "autoritária".

A medida será questionada na justiça. Para Luciano Mariz Maia, vice-procurador-geral da República, a nota do MEC pode violar o Estatuto da Criança e do Adolescente e outros dispositivos legais.

O deputado federal Orlando Silva (PCdoB-SP) disse que irá representar contra o ministro Abraham Weintraub (Educação) por abuso de poder, improbidade administrativa e crime de responsabilidade.

 Assista ao vídeo ridículo:

O conhecimento liberta. Saiba mais

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247