Ex-dirigente do Partido Social Cristão é acusado de usar Fundo Partidário para pagar prostitutas

O ex-presidente nacional do PSC (Partido Social Cristão) Vitor Jorge Abdala Nósseis é suspeito de pagar prostitutas com dinheiro do Fundo Partidário; a direção nacional do partido remeteu à Justiça Eleitoral aquilo que pode servir de prova para o crime: uma gravação em que Nósseis  afirma ter usado verbas destinadas à Fundação Instituto Pedro Aleixo para manter relações sexuais com mulheres

Ex-dirigente do Partido Social Cristão é acusado de usar Fundo Partidário para pagar prostitutas
Ex-dirigente do Partido Social Cristão é acusado de usar Fundo Partidário para pagar prostitutas

247 - O ex-presidente nacional do PSC (Partido Social Cristão) Vitor Jorge Abdala Nósseis é suspeito de pagar prostitutas com dinheiro do Fundo Partidário. A direção nacional do partido remeteu à Justiça Eleitoral aquilo que pode servir de prova para o crime: uma gravação em que Nósseis  afirma ter usado verbas destinadas à Fundação Instituto Pedro Aleixo para manter relações sexuais com mulheres.

“No áudio, o interlocutor relata: “Eu tô vendo uma fofoca... Diz que eu dei dinheiro, né? Eu dei dinheiro da fundação pra comer as puta (sic)... Conversa dela. Falei ‘dei mesmo e comi’. Qual o problema? E agora? Vai fazer o que comigo? Dei, mas elas se formaram. Recuperei elas (sic) todas pra vida. Cê vê (sic), a Samantha é uma mesmo. A Keila é outra. Tem umas três na Europa. Já viraram, tudo virou gente. Formaram, tem mais de 20”.

A gravação foi anexada pelo próprio PSC na prestação de contas de 2017, entregue ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE). A corte tornou os dados públicos. Até o ano passado, as fundações partidárias recebiam 20% do total destinado às legendas pelo Fundo Partidário – cerca R$ 3 milhões nesse caso. O dinheiro deveria custear atividades de formação política, cursos e eventos. No áudio, o interlocutor não cita valores.”

Leia mais aqui.

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247