Ex-juiz suspeito e responsável pela destruição de 4,4 milhões de empregos, Moro insulta Mantega

O juiz declarado suspeito pelo STF e que quebrou várias empresas atacou o ministro que gerou uma média de crescimento de 4,5% ao ano na economia brasileira

www.brasil247.com - Sergio Moro e Guido Mantega
Sergio Moro e Guido Mantega (Foto: Ueslei Marcelino/Reuters | José Cruz/Agência Brasil)


247 - O ex-juiz Sergio Moro, que destruiu 4,4 milhões de empregos, segundo o Dieese, quebrou construtoras brasileiras e depois foi pago por uma consultoria estadunidense que lucrou com tal destruição, atacou nesta quarta-feira (5) o ex-ministro da Fazenda Guido Mantega, a quem chamou de “pós-Itália”.

No período em que foi ministro da Fazenda, Guido Mantega produziu a maior taxa de crescimento da história recente, com uma média de 4,5% ao ano e recorde na geração de empregos.

Moro, por sua vez, foi declarado parcial e suspeito pelo Supremo Tribunal Federal (STF) e está sendo investigado pelo Tribunal de Contas da União por ter enriquecido enquanto o Brasil empobreceu. Saiba aqui como apoiar o documentário de Joaquim de Carvalho sobre o patrimônio de Moro e Dallagnol, ex-chefe da Lava Jato.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Assine o 247, apoie por Pix, inscreva-se na TV 247, no canal Cortes 247 e assista:

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Apoie o 247

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Cortes 247

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
WhatsApp Facebook Twitter Email