Extrema-direita compra a causa da maconha e ensaia distensão

A deputada de extrema direita Carla Zambelli, do partido de Bolsonaro (PSL), entrou na defesa do uso medicinal da maconha, alinhando-se a nomes como Marcelo Freixo e FHC. Ela diz: "nesse meio do caminho, vendo que existem muitos preconceitos com relação a isso [maconha na medicina], pensei em juntar esquerda e direita numa coisa que poderia ser algo comum pra todo mundo, independentemente de ideologias"

(Foto: Carla Zambelli)

247 - A deputada de extrema direita Carla Zambelli, do partido de Bolsonaro (PSL), entrou na defesa do uso medicial da maconha, alinhando-se a nomes como Marcelo Freixo e FHC. Ela diz: "nesse meio do caminho, vendo que existem muitos preconceitos com relação a isso [maconha na medicina], pensei em juntar esquerda e direita numa coisa que poderia ser algo comum pra todo mundo, independentemente de ideologias".

A reportagem do jornal Folha de S. Paulo se diverte com a possibilidade inusitada de pautas siamesas entre os pólos políticos: "se 2019 é o ano em que tudo pode acontecer, por que não uma aliança entre uma das mais aguerridas bolsonaristas na Câmara, Carla Zambelli (PSL-SP), e um dos muques da esquerda por lá, Marcelo Freixo (PSOL-RJ)? E para tomar uma posição, aliás, que  bate de frente com a do governo Jair Bolsonaro sobre o tema: o cultivo de maconha para uso medicinal no Brasil."

A matéria avança, polvilhando intrigas do bem entre os agentes reativos da direita: "o presidente já deixou bem claro que é contra. Disse na quinta-feira (1) que se alinha a seu ministro da Cidadania, Osmar Terra, no assunto. 'Estou na linha dele nessa questão da maconha. Ele diz que abre as portas para o plantio de maconha em casa. Então seria bom conversar com ele. Ele é médico"."

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247