Fã de Moro e Dallagnol, ativista alerta para "pulga da dúvida" na Lava Jato

Fã da operação Lava Jato e de Sergio Moro, a professora Narli Rezende reprova a forma como membros do MPF têm agido após a divulgação de suas conversas pelo site "The Intercept Brasil"

Narli Resende
Narli Resende (Foto: Reprodução)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - Fã da operação Lava Jato e de Sergio Moro, a professora Narli Rezende reprova a forma como membros do MPF têm agido após a divulgação de suas conversas pelo site "The Intercept Brasil". 

Em entrevista concendida ao Portal UOL, ela disparou: Se eu fosse [Deltan] Dallagnol, entregaria meu celular para uma perícia da PF. Se eu tivesse dado palestras, seria a primeira a abrir a planilha. Se há transparência, só fortalece a Lava Jato.

"Se ele {Dallagnol} não aceitou um presentinho merreca, por que iria aceitar ingresso para Beach Park em troca de palestra?", questiona. "Será que o cara é tão bobo de gastar toda uma carreira para ir ao Beach Park?"

Narli, contudo, compreende que nem todos conheçam Dallagnol como ela. Por isso, sugere que todos citados em conversas vazadas colaborem com uma investigação ampla da PF sobre o caso.

Se tiver um jeito de se resgatar as mensagens, que se faça, justamente para evitar que paire uma dúvida: 'será que é verdade?' Pelo tempo que eu tenho com eles [membros da Lava Jato], eu tenho uma percepção. Mas e os outros, o cidadão comum, o pagador de impostos? Tem muita gente que pode estar sendo contaminada pela 'pulguinha da dúvida'.

O conhecimento liberta. Saiba mais

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247