Família de Ágatha recusa dinheiro "cala-boca" do governo Witzel

A família da menina Ágatha, assassinada pela polícia comandada pelo governador do Rio durante ação policial no Complexo do Alemão, recusou de maneira digna auxílio do governo Witzel. Depois de a matar, governo Witezl queria pagar o funeral. Enterro foi realizado com recursos da família e do jornal Voz das Comunidades

(Foto: Reprodução)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - A família de Ágatha Félix, assassinada na última sexta-feira (20) durante ação policial no Complexo do Alemão, no Rio, recusou o auxílio da secretaria estadual de Vitimização e não quer receber recurso de nenhuma espécie do governo do estado liderado por Wilson Witzel. A informação é da jornalista Mônica Bergamo em sua coluna na Folha de S.Paulo.

O governo estadual diz que se ofereceu para pagar o velório da criança.   

“Não queremos ajuda do governo”, disse Danilo Félix, tio da garota. O enterro foi realizado com recursos da família e do jornal Voz das Comunidades.

Nesta terça (24), organizações brasileiras farão um discurso contra a política de segurança de Witzel, no Conselho de Direitos Humanos da ONU, em Genebra. “Os alvos são sempre os mesmos: negros jovens e pobres que vivem nas favelas da cidade”, diz o texto que será lido.

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

WhatsApp Facebook Twitter Email