Feliciano e Jean Wyllis atuarão juntos em comissão

 A disputa pela presidência da Comissão de Direitos Humanos e Minorias (CDHM) da Câmara dos Deputados parece estar chegando ao fim. Sem conseguir viabilizar uma candidatura avulsa para fazer frente ao indicado oficial, o deputado Paulo Pimenta (PT-RS), a bancada evangélica deverá indicar o Pastor Marco Feliciano (PSC-SP) para uma das vice-presidências da comissãoA outra vice-presidência deverá ser ocupada pelo deputado Jean Wyllis (PSOL-RJ), que atua em favor do movimento LGBT e é adversário político de Feliciano.

 A disputa pela presidência da Comissão de Direitos Humanos e Minorias (CDHM) da Câmara dos Deputados parece estar chegando ao fim. Sem conseguir viabilizar uma candidatura avulsa para fazer frente ao indicado oficial, o deputado Paulo Pimenta (PT-RS), a bancada evangélica deverá indicar o Pastor Marco Feliciano (PSC-SP) para uma das vice-presidências da comissãoA outra vice-presidência deverá ser ocupada pelo deputado Jean Wyllis (PSOL-RJ), que atua em favor do movimento LGBT e é adversário político de Feliciano.
 A disputa pela presidência da Comissão de Direitos Humanos e Minorias (CDHM) da Câmara dos Deputados parece estar chegando ao fim. Sem conseguir viabilizar uma candidatura avulsa para fazer frente ao indicado oficial, o deputado Paulo Pimenta (PT-RS), a bancada evangélica deverá indicar o Pastor Marco Feliciano (PSC-SP) para uma das vice-presidências da comissãoA outra vice-presidência deverá ser ocupada pelo deputado Jean Wyllis (PSOL-RJ), que atua em favor do movimento LGBT e é adversário político de Feliciano. (Foto: Paulo Emílio)

247 - A disputa pela presidência da Comissão de Direitos Humanos e Minorias (CDHM) da Câmara dos Deputados parece estar chegando ao fim. Sem conseguir viabilizar uma candidatura avulsa para fazer frente ao indicado oficial, o deputado Paulo Pimenta (PT-RS), a bancada evangélica deverá indicar o Pastor Marco Feliciano (PSC-SP) para uma das vice-presidências da comissão. A outra vice-presidência deverá ser ocupada pelo deputado Jean Wyllis (PSOL-RJ), que atua em favor do movimento LGBT e é adversário político de Feliciano.

O acordo para resolver os cargos de direção da CDHM começou a ser feito na semana passada, quando o PT convidou Jean Wyllis para integrar a comissão. Como o PSOL não tem direito a uma vaga, o PSB abriu mão para que ele pudesse disputar o cargo. A bancada evangélica concordou em compor a Mesa desde que ficasse também com a terceira vice-presidência. O cargo deverá ser ocupado pela deputada Rosângela Gomes (PRB-RJ).

"Vamos montar a chapa para mostrar que o Congresso é lugar de consenso. Isso é um sinal ótimo para a sociedade", declarou Feliciano. O parlamentar é acusado de ter feito declarações homofóbicas e racistas, além de atuar contra as bandeiras defendidas pelo movimento LGBT. "A sociedade tem que entender que o papel da política é o diálogo", disse Wyllys.

Conheça a TV 247

Mais de Brasil

Ao vivo na TV 247 Youtube 247