FHC adere ao 'ele não' e sinaliza voto em Haddad no segundo turno

O ex-presidente Fernando Henrique Cardoso (PSDB), mentor intelectual do golpe parlamentar de 2016, afirmou a amigos que por exclusão, terá de apoiar o candidato do PT, Fernando Haddad, no segundo turno; informação foi divulgada pelo Catraca Livre; "FHC suspeita que, com Jair Bolsonaro, haverá um risco autoritário permanente e crise institucional, devido sua fragilidade de apoios no Congresso", diz o veículo; líder tucano dá a senha para a ala do PSDB que não irá se alinhar à extrema-direita 

FHC adere ao 'ele não' e sinaliza voto em Haddad no segundo turno
FHC adere ao 'ele não' e sinaliza voto em Haddad no segundo turno

247 - O ex-presidente Fernando Henrique Cardoso (PSDB), mentor intelectual do golpe parlamentar de 2016 e um dos responsáveis pelo fortalecimento da extrema-direita no País, afirmou a amigos que por exclusão, terá de apoiar o candidato do PT, Fernando Haddad, no segundo turno.

A informação foi divulgada pelo site Catraca Livre. "FHC não gosta da volta do PT, por considerar que o partido não defende o que considera as reformas necessárias para o país – especialmente a da previdência. Considera ainda que o PT não tem uma visão econômica "correta" sobre como devolver o crescimento ao país, já que defende uma presença forte do Estado. Mesmo assim, ele considera que o Jair Bolsonaro seria uma opção pior, uma "ameaça" à democracia. FHC suspeita que, com Jair Bolsonaro, haverá um risco autoritário permanente e crise institucional, devido sua fragilidade de apoios no Congresso", diz o veículo. 

O candidato do PSDB a presidente, Geraldo Alckmin, segue patinando na campanha. Na pesquisa Ibope divulgada nessa terça-feira, 18, Alckmin oscilou negativamente de 9% para 7% e está praticamente eliminada a possibilidade do tucano ir ao segundo turno. 

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247