Filhas e genro de delator são condenados por tentar obstruir a Lava Jato

Ariana Azevedo Costa Bachmann e Shanni Azevedo Costa Bachmann, filhas do ex-diretor de Abastecimento da Petrobrás e delator da Lava Jato Paulo Roberto Costa, foram condenadas por Sergio Moro a uma pena de 2,4 anos de prisão e um 1,8 meses de reclusão, respectivamente, por tentar embaraçar a investigação; Márcio Lewkowicz, que é genro de Paulo Roberto Costa, foi condenado a 2,4 anos de prisão; as penas, porém foram substituídas por prestação de serviços

Filhas e genro de delator são condenados por tentar obstruir a Lava Jato
Filhas e genro de delator são condenados por tentar obstruir a Lava Jato (Foto: Fabio Pozzebom - ABR)

247 - Ariana Azevedo Costa Bachmann e Shanni Azevedo Costa Bachmann, filhas do ex-diretor de Abastecimento da Petrobrás e delator da Lava Jato Paulo Roberto Costa, foram condenadas por Sergio Moroa uma pena de dois anos e quatro meses de prisão e um ano e oito meses de reclusão, respectivamente, por tentar embaraçar a investigação.

Elas teriam retirado documentos do escritório do pai para dificultar o trabalho dos investigadores. A pena restritiva de liberdade, porém, foi substituída pela prestação de serviços comunitários a entidade pública ou de beneficência.

Moro também condenou, no mesmo processo, Márcio Lewkowicz, que é genro de Paulo Roberto Costa, a cumprir dois anos e quatro meses de prisão. A pena também foi comutada por prestação de serviços. A sentença foi publicada na última sexta-feira (24).

 

Conheça a TV 247

Mais de Brasil

Ao vivo na TV 247 Youtube 247