PT diz que Folha quer criminalizar direito de defesa de Lula e do partido

Matéria tenta criminalizar a atuação de escritórios de advocacia que trabalharam para impedir a consumação de abusos contra dirigentes do partido, diz o PT em nota

www.brasil247.com - Folha de S.Paulo
Folha de S.Paulo (Foto: Giuliana Miranda)


247 - O Partido dos Trabalhadores (PT) reagiu a uma reportagem publicada nesta sexta-feira (4), no Jornal Folha de S. Paulo, sobre despesas do PT em ações judiciais envolvendo dirigentes do partido. A reportagem soma sem nenhum critério contratos pagos com fontes diversas de recursos a seis escritórios distintos, para atuar em dezenas de processos ao longo de cinco anos, até chegar a uma quantia chamativa na manchete.

Leia a nota do PT:

A reportagem da Folha de S. Paulo sobre despesas do PT em ações judiciais envolvendo dirigentes do partido é um ataque frontal aos princípios constitucionais do direito de defesa, da presunção de inocência e da autonomia dos partidos políticos. É também mais uma evidência da parcialidade deste jornal contra o Partido dos Trabalhadores e suas lideranças.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

A matéria tenta criminalizar a atuação dos escritórios de advocacia que trabalharam dentro da lei para impedir a consumação de violências e abusos contra dirigentes do partido. Ignora a motivação política do conjunto de ações e esconde dos leitores que a Lei Orgânica dos Partidos Políticos prevê a contratação de advogados “em processos judiciais e administrativos de interesse partidário” (Art. 44, VIII, Lei 9096/95).

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

O caso do presidente Lula fala por si: foi absolvido ou teve denúncias e até condenações anuladas por falta de justa causa ou parcialidade em todas as 24 ações que respondeu. Outros dirigentes também obtiveram vitórias judiciais em casos de perseguição política, alguns até relatados no texto,mas sem o necessário equilíbrio. Nenhuma dessas vitórias da verdade e da Justiça teria sido possível sem a atuação dos advogados contratados pelo PT, em sua autonomia legal e constitucional.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

A reportagem de hoje soma sem nenhum critério contratos pagos com fontes diversas de recursos a seis escritórios distintos, para atuar em dezenas de processos ao longo de cinco anos, até chegar a uma quantia chamativa na manchete. É um surrado recurso do pior jornalismo, sempre praticado contra Lula e o PT, que agora chega ao ponto de atingir os profissionais do Direito.

Cabe indagar qual critério jornalístico moveu a Folha a levantar os custos da defesa dos dirigentes do PT, sem compará-los aos de outros partidos que igualmente contrataram advogados para atuar no âmbito da lava-jato e outras ações. Por que só o PT? Por que só o Lula? Acaso a Folha contabilizou quanto tem custado ou virá a custar a defesa de Sergio Moro, DeltanDallagnol e seus cúmplices nas ações que respondem e vão responder pelos abusos e ilegalidades que praticaram? E de onde virão?

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

O que a Folha e a imprensa cúmplice da Lava Jato não conseguem admitir é que a Justiça tem prevalecido sobre o Tribunal da Mídia, que condenou sem provas e sem direito de defesa os adversários de seus interesses políticos e econômicos. A hora da verdade talvez tenha chegado mais cedo do que esperavam. Por isso estão irresignados com as decisões judiciais, inclusive do Supremo Tribunal Federal, que jogam por terra o lawfare contra Lula, o PT e seus dirigentes nos últimos anos.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

O conhecimento liberta. Quero ser membro. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Apoie o 247

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Cortes 247

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
WhatsApp Facebook Twitter Email