Força Nacional na mira do Ministério da Justiça

Pasta investiga suposto suborno de homens da Fora Nacional; militares podem ter sido pagos para manter abertos bingos no Entorno do DF; sindicncia foi aberta na Secretaria Nacional de Segurana Pblica

Força Nacional na mira do Ministério da Justiça
Força Nacional na mira do Ministério da Justiça (Foto: Edição/247)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

Brasília 247 – Sindicância aberta pela Secretaria Nacional de Segurança Pública do Ministério da Justiça (MJ) investiga gravações da Polícia Federal (PF), realizadas na operação Monte Carlo, que mostram suposto suborno a militares da Força Nacional que trabalham na região do Entorno do DF pelo grupo do bicheiro Carlinhos Cachoeira.

Segundo a investigação da PF, o grupo ligado a Cachoeira chegou a fazer acordos com integrantes da Força Nacional para manter o funcionamento de casas de bingos no Entorno.

A gravação feita pela Polícia Federal no dia 8 de agosto de 2011, Lenine Araújo de Souza, apontado como gerente dos bingos, fala para Carlos Cachoeira sobre um suposto acordo com homens da Força Nacional para manter um bingo no Entorno aberto. Na ligação, eles chamam bingo de “cartela”.

Lenine: "A Força teve lá no Cartela, sábado pra domingo."

Cachoeira: "Fechou?"

Lenine: "Não. Aí o seguinte, ninguém me avisou. Quando eu cheguei ontem à noite aqui, o William falou para mim: ó, tem um problema lá no bingo, lá com a Força. (...) O cara chamou o Washington para um acordo."

Lenine: "Aí o Washington chegou lá fez um acordo e continuou normalmente. Foram embora."

Cachoeira: "Ah tá."

Com informações do G1.

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

WhatsApp Facebook Twitter Email