Forças Armadas gastam com pessoal, mas cai investimento com Defesa nacional

A previsão de gasto militar para o primeiro ano de governo de Bolsonaro prevê aumento de despesa com pessoal, mas uma queda expressiva do investimento em Defesa nacional propriamente dita, como aquisição de equipamentos para as Forças Armadas. É a menor despesa com a Defesa nacional em dez anos

Forças Armadas gastam com pessoal, mas cai investimento com Defesa nacional
Forças Armadas gastam com pessoal, mas cai investimento com Defesa nacional
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - A previsão de gasto militar para o primeiro ano de governo de Bolsonaro prevê aumento de despesa com pessoal, mas uma queda expressiva do investimento em Defesa nacional propriamente dita, como aquisição de equipamentos para as Forças Armadas. É a menor despesa com a Defesa nacional em dez anos.

O Ministério da Defesa afirma que o aumento com pessoal reflete o projeto de recuperação salarial das Forças aprovado em 2016. A última parcela dos quatro reajustes começou a valer em janeiro.

Reportagem de Igor Gielow e Gustavo Patu no jornal Folha de S.Paulo analisa a série histórica com a ferramenta de acompanhamento orçamentário Siga Brasil, do Senado. Para este ano, o Ministério da Defesa, ainda na gestão Michel Temer (MDB), planejou gastar R$ 104,2 bilhões, o quarto maior volume da Esplanada. Desse montante, R$ 81,1 bilhões irão para pessoal, R$ 13,3 bilhões, para gastos correntes (custeio) e R$ 9,8 bilhões, para investimentos. Os valores não incluem o contingenciamento de R$ 5,1 bilhões nos dois últimos itens, que podem ser revertidos ao longo do ano.

"Se as Forças Armadas contassem com uma participação maior do PIB, e 2% é o volume considerado adequado para gastos conforme os padrões da Otan (aliança militar ocidental), haveria um maior aporte de recursos para projetos e a proporção de gasto com pessoal seria menor", afirmou em nota o Ministério da Defesa.

Leia mais

 

O conhecimento liberta. Saiba mais

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247