Freixo comenta vexame de Bolsonaro: "torrou R$ 6 milhões no cartão corporativo e vem falar de simplicidade"

Em Nova York, Jair Bolsonaro foi obrigado a comer pizza na rua por não ter se vacinado e por não usar máscara. “Não é simplicidade, é vexame”, escreveu o deputado Marcelo Freixo (PSB) no Twitter

www.brasil247.com -
(Foto: Luis Macedo/Câmara dos Deputados | Reprodução)


247 - O deputado federal Marcelo Freixo (PSB) comentou o mais novo vexame promovido por Jair Bolsonaro, que, sem tomar banho e sem usar máscara, foi obrigado a comer pizza nas ruas de Nova York, onde ocorrerá a Assembleia Geral da ONU.

“O sujeito já torrou R$ 6 MILHÕES no cartão corporativo neste ano e ainda vem falar de simplicidade porque comeu pizza na rua. Bolsonaro teve que jantar na calçada porque seria posto para fora se tentasse entrar no restaurante. Não é simplicidade, é vexame”, escreveu o deputado.

A cidade não aceita que pessoas não vacinadas entrem em ambientes fechados. A cena representa mais uma humilhação internacional para o Brasil, que vem tendo sua imagem internacional destruída desde o golpe de estado contra a ex-presidente Dilma Rousseff e a posterior ascensão do fascismo. 

As imagens de Bolsonaro comendo pizza ao lado de vários ministros foram publicadas em redes sociais por Gilson Machado, ministro do Turismo. Além dele, também saíram para comer Pedro Guimarães, presidente da Caixa, Anderson Torres, ministro da Justiça, Augusto Heleno, do Gabinete de Segurança Institucional, e Luiz Eduardo Ramos, da Secretaria-Geral da Presidência, entre outros.

Além das cenas de “vergonha alheia” que repercutiram mundialmente, Bolsonaro foi alvo de outra saia justa. Ele foi recebido com protestos no hotel que irá se hospedar, tendo que entrar pelas portas do fundos do local para fugir da situação.

Assine o 247, apoie por Pix, inscreva-se na TV 247, no canal Cortes 247 e assista:

O conhecimento liberta. Quero ser membro. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Apoie o 247

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

Cortes 247

WhatsApp Facebook Twitter Email