Funaro diz ter repassado R$ 11,4 mi em espécie para Geddel

Doleiro Lucio Funaro, apontado como operador de propinas do PMDB e ligado ao ex-deputado Eduardo Cunha (PMDB-RJ), detalhou em sua delação premiada o funcionamento do sistema de pagamento de propinas entregues por meio de malas ao ex-ministro Geddel Vieira Lima; segundo Funaro, Geddel teria recebido apenas entre 2014 e 2015 um total de R$ 11,4 milhões em espécie e que teriam sido repassados em 11 ocasiões diferentes, uma dela no dia do aniversário de 15 anos da filha do ex-ministro

Funaro Geddel
Funaro Geddel (Foto: Paulo Emílio)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - O doleiro Lucio Funaro, apontado como operador de propinas do PMDB e ligado ao ex-deputado Eduardo Cunha (PMDB-RJ), detalhou em sua delação premiada ao Ministério Público Federal (MPF) como funcionava o sistema de pagamento de propinas entregues por meio de malas ao ex-ministro Geddel Vieira Lima. Segundo Funaro, Geddel teria recebido apenas entre 2014 e 2015 um total de R$ 11,4 milhões em espécie que teriam sido repassados em 11 ocasiões diferentes. Geddel, que já havia sido preso em julho, foi detido novamente nesta sexta-feira (8) e elevado para o presídio da Papuda, em Brasília.

Segundo matéria publicada pela revista Veja, parte do dinheiro teria sido transportada em jatinhos particulares e teriam sido entregues a Geddel Os pacotes de dinheiro eram levados em um jato particular e entregue ao próprio ex-ministro em um hangar privado do Aeroporto Internacional de Salvador. Outras remessas de dinheiro teriam sido entregues ao ex-ministro em hotéis da capital baiana e em São Paulo.
"

Ao descer do avião era indagado por Geddel a respeito da quantia que estava sendo entregue. Geddel demonstrava naturalidade ao receber os valores", disse Funaro em sua delação. "Recorda-se de ter entregue dinheiro para Geddel em São Paulo, no Hotel Renaissense, na Alameda Santos, e uma vez em Salvador, no Hotel Pestana, no dia em que a filha de Geddel estava fazendo uma festa para comemorar seus 15 anos", ressaltou Funaro.

 

Participe da campanha de assinaturas solidárias do Brasil 247. Saiba mais.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247