Fux: ‘TSE não é avestruz para enfiar a cabeça no chão e ignorar provas’

Ministro do Tribunal Superior Eleitoral Luiz Fux disse que a Corte não pode deixar de levar em consideração as novas provas apresentadas durante o julgamento da ação que pode resultar na cassação da chapa Dilma Rousseff-Michel Temer pelo colegiado; "Avestruz é que enfia a cabeça no chão e ignora provas", afirmou em referência ao pedido de inclusão de provas obtidas por meio da delação premiada de ex-executivos da empreiteira Odebrecht; maioria do plenário, porém, é contrária à inclusão

Ministro do Tribunal Superior Eleitoral Luiz Fux disse que a Corte não pode deixar de levar em consideração as novas provas apresentadas durante o julgamento da ação que pode resultar na cassação da chapa Dilma Rousseff-Michel Temer pelo colegiado; "Avestruz é que enfia a cabeça no chão e ignora provas", afirmou em referência ao pedido de inclusão de provas obtidas por meio da delação premiada de ex-executivos da empreiteira Odebrecht; maioria do plenário, porém, é contrária à inclusão
Ministro do Tribunal Superior Eleitoral Luiz Fux disse que a Corte não pode deixar de levar em consideração as novas provas apresentadas durante o julgamento da ação que pode resultar na cassação da chapa Dilma Rousseff-Michel Temer pelo colegiado; "Avestruz é que enfia a cabeça no chão e ignora provas", afirmou em referência ao pedido de inclusão de provas obtidas por meio da delação premiada de ex-executivos da empreiteira Odebrecht; maioria do plenário, porém, é contrária à inclusão (Foto: Paulo Emílio)

247 - O ministro do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) Luiz Fux disse que a Corte não pode deixar de levar em consideração as novas provas apresentadas durante o julgamento da ação que pode resultar na cassação da chapa Dilma Rousseff-Michel Temer pelo colegiado.

Segundo ele, "Avestruz é que enfia a cabeça no chão e ignora provas", afirmou em referência ao pedido de inclusão de provas obtidas por meio da delação premiada de ex-executivos da empreiteira Odebrecht.

"Não podemos ser obstados da oportunidade nesse momento de passar a limpo imediatamente esses fatos que a meu modo de ver são gravíssimos e contaminaram o processo eleitoral pelas chagas da corrupção iludindo a vontade do eleitor. É impossível uma corte descobrir e não levar em consideração", afirmou.

O TSE analisa na sessão desta quinta-feira (8) o pedido da defesa para que sejam descartados os testemunhos dos delatores da Odebrecht sob a alegação de que eles não constavam não constavam da petição inicial do PSDB contra a chapa Dilma-Temer.

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247