General Heleno acusa movimentos de esquerda de conturbarem países na América do Sul

Ministro-chefe do Gabinete de Segurança Institucional (GSI) diz que "a esquerda radical, desesperada com a perda de poder, vai jogar todas as suas fichas na mesa para conturbar a vida dos países sul-americanos"

General Augusto Heleno, ministro da GSI
General Augusto Heleno, ministro da GSI (Foto: José Dias/PR)

247 - O ministro-chefe do Gabinete de Segurança Institucional (GSI), general Augusto Heleno, acusou nesta quarta-feira 23 movimentos de esquerda de conturbarem países na América do Sul para tentarem voltar ao poder. Heleno faz parte da comitiva de Jair Bolsonaro que faz uma viagem de 12 dias pela Ásia e atualmente está em Tóquio, no Japão.

“Na América do Sul estamos vivendo um momento difícil em que a esquerda radical, desesperada com a perda de poder, vai jogar todas as suas fichas na mesa para conturbar a vida dos países sul-americanos e tentar retornar ao poder de qualquer maneira e nos jogar no abismo que nós paramos na porta”, afirmou o general.

“Hoje somos um país na UTI”, acrescentou, defendendo a aprovação das reformas como remédio para “um país que está na UTI. Não consigo aceitar que se retardem as reformas que evidentemente vão tirar o Brasil da UTI”.

Mais cedo, Jair Bolsonaro havia acusado o senador Humberto Costa (PT-PE), a quem chamou de “senador anão”, de agitar as massas populares para o confronto no Brasil.

Ele disse ter acionado o ministro da Defesa para as Forças Armadas estarem prontas no caso de ações violentas acontecerem no Brasil, a exemplo do Chile. “Sempre temos capacidade de nos antecipar a problemas. Está tomando as providências, para caso venha a acontecer, que medidas tomar.” 

Ao vivo na TV 247 Youtube 247