Gestão de Abraham Weintraub no MEC é pautada por ideologia, polêmica e paralisia

Reportagem do jornal Folha de S.Paulo faz um balanço da gestão de Bolsonaro no MEC e indica que "protestos, convocações no Congresso, processos judiciais e apuração no Conselho de Ética da Presidência são os principais frutos da gestão do ministro Abraham Weintraub na Educação"

Brasília- DF. 11-12- 2019-   ministro da Educação Abraham Weintraub durante depoimento na comissão de educação da câmara
Brasília- DF. 11-12- 2019- ministro da Educação Abraham Weintraub durante depoimento na comissão de educação da câmara (Foto: Lula Marques)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - Reportagem do jornal Folha de S.Paulo consultou especialistas sobre o desempenho de Abraham Weintraub na Educação sob o primeiro ano de Bolsonaro. 

Preterida em detrimento das declarações polêmicas, a gestão da pasta travou a política educacional do país, afirmam especialistas. 

Com isso, não se cumpriu, no primeiro ano, a promessa do presidente Jair Bolsonaro de priorizar a educação infantil e os ensinos fundamental e médio —a chamada educação básica. 

Em quase 12 meses de governo, acrescenta a reportagem, a pasta computa uma precária articulação com as secretarias de educação pelo país e a baixa execução orçamentária de recursos federais.

"Discutir ideologia não garante orçamento nem que a rotina escolar seja mantida de forma a atender todo mundo", diz a pesquisadora em educação da PUC-SP Mônica Gardelli Franco,

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247