Gilmar: mensagens de Dallagnol e Moro já podem ser periciadas

O ministro Gilmar Mendes afirmou na noite desta terça-feira que "já se pode fazer perícia" no STF das mensagens trocadas entre os protagonistas da Lava Jato, em especial Deltan Dallagnol e Sérgio Moro; Gilmar referiu-se aos membros da Lava Jato como "delinquentes" e disse crer que todas as mensagens divulgadas pela Vaza Jato são autênticas

(Foto: ABr | Senado)


✅ Receba as notícias do Brasil 247 e da TV 247 no canal do Brasil 247 e na comunidade 247 no WhatsApp.

247 - O ministro Gilmar Mendes afirmou na noite desta terça-feira (6) que "já se pode fazer perícia" no STF das mensagens trocadas entre os protagonistas da Lava Jato, em especial Deltan Dallagnol e Sérgio Moro; Gilmar refereiu-se aos membros da Lava Jato como "delinquentes" e disse crer que todas as mensagens divulgadas pela Vaza Jato são autênticas.

O ministro do Supremo conversou com o jornalista Josias de Souza. Já há, segundo Gilmar, na Corte duas cópias do material da Vaza Jato no STF. A primeira cópia foi solicitada à Justiça Federal pelo ministro Luiz Fux a pedido do PDT, que recorreu ao Supremo para afastar o risco de destruição das mensagens. A segunda foi requerida pelo ministro Alexandre de Moraes, relator de inquérito secreto aberto no Supremo em março, a para apurar ataques à Corte e aos seus membros. Segundo Gilmar, Ricardo Lewandowski deve requisitar outra cópia, para anexar em processo que está sob sua relatoria.

continua após o anúncio

Gilmar acredita que todas as mensagens divulgadas até agora são autênticas, o que poderá ser atestado em definitivo pela perícia. Entre as mensagens já divulgadas há um áudio de Deltan. "'Se tiver mensagem sonora, eles podem até se submeter a um teste de voz. É uma grande chance para desmentir, para dizer que não são eles', ironizou o magistrado". segundo Josias de Souza.

Gilmar afirmou que as investigações decorrentes da trama ilegal entre os membros da Lava Jato são ilegais: "De fato, é evidente que o juiz [Moro] estava combinando com o procurador [Deltan]. Eles estavam atuando como juiz e bandeirinha. Isso é evidente. Basta olhar". Para ele, "do ponto de vista processual, o Moro era o chefe da Operação. Era isso" -o que é uma ilegalidade grave, pois como magistrado, Moro jamais poderia ter comandado a Lava Jato. 

continua após o anúncio

Gilmar reiterou que, "em princípio", a Segunda Turma do Supremo "pode discutir sobre o uso dessas mensagens de origem ilícita no julgamento do caso de Lula", e confirmou que os ministros irão julgar em breve a suspeição de Moro no julgamento do caso do tríplex.

continua após o anúncio

Assine o 247, apoie por Pix, inscreva-se na TV 247, no canal Cortes 247 e assista:

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

continua após o anúncio

Ao vivo na TV 247

Cortes 247