Glauber Braga: plano de privatizar a Petrobrás é porque sabem que serão derrotados nas eleições

Sobre a ameaça do presidente da Câmara, Arthur Lira, de retirá-lo à força do plenário, deputado afirma que "nem o Eduardo Cunha teve coragem" de fazer tal ameaça

www.brasil247.com - Glauber Braga e Arthur Lira
Glauber Braga e Arthur Lira (Foto: Câmara dos Deputados)


247 - Em entrevista ao programa Giro das Onze, da TV 247, o deputado federal Glauber Braga (PSOL-RJ) falou sobre o embate com o presidente da Câmara, deputado Arthur Lira (PP-AL), na última terça-feira (31), quando ele tentava colocar em votação a privatização da Petrobrás não por meio de Proposta de Emenda Constitucional (PEC), como estabelece a Constituição e que exige o mínimo de 308 votos, mas como projeto de lei, que exige apenas maioria simples.

“Eles já sentem que não tem condições eleitorais de vencer e querem fazer um movimento que garanta a entrega do setor de petróleo antes do ano de 2023, porque isso pode se tornar impossível depois de 2022”, salientou o parlamentar.

Segundo Glauber Braga, “há uma mudança no comportamento do Lira”. “No início da sua gestão fez todas as movimentações de atendimento imediato e sinalização ao mercado. A partir de agora ele começou a fazer movimentos para atender segmentos específicos já pensando na sua reeleição, a partir de 2023 como presidente da Câmara. Está atendendo atores da bancada fundamentalistas para garantir essa base de apoio”, denuncia.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Sobre a condução de Arthur Lira na presidência da Casa, Glauber classificou com “muito absurda”. “O Lira, desde o início da sua presidência, diminui de maneira progressiva os espaços de debate. A oposição não tem quase o espaço da obstrução. Ele apresenta o projeto no dia, já aprova a urgência e coloca o projeto em votaçã”, destacou.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

“Esse cara anuncia isso e se não tem uma reação da nossa parte, a maioria das pessoas não ficariam nem sabendo do que está acontecendo. Já é um absurdo falar em privatização da Petrobrás. Privatizar por maioria simples e votar a toque de caixa é maior ainda”, frisou.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Sobre a ameaça de Lira de expulsão do plenário da Câmara, o parlamentar afirma: “Ele chegou a fazer algo que nem o Eduardo Cunha teve coragem ao dizer que tiraria à força do plenário da Câmara. A gente estava ali preparado para reagir fisicamente e não permitir que o arbítrio se operasse. Mas é o absurdo pleno que ele tenta naturalizar”.

Assine o 247, apoie por Pix, inscreva-se na TV 247, no canal Cortes 247 e assista:

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Apoie o 247

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Cortes 247

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
WhatsApp Facebook Twitter Email