Gleisi anuncia plano de reconstrução do Brasil e aponta Bolsonaro inimigo da democracia

A presidente nacional do PT, deputada federal Gleisi Hoffmann, anunciou nesta segunda-feira (21) o plano do PT de reconstrução do Brasil, que tem como baliza principal retirar o país da profunda crise política e social. Em sua visão, “o governo Bolsonaro, inimigo principal da democracia, quer envenenar a sociedade com ódio”

Gleisi Hoffmann e Jair Bolsonaro
Gleisi Hoffmann e Jair Bolsonaro (Foto: Reprodução | Carolina Antunes/PR)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - A presidente nacional do PT, deputada federal Gleisi Hoffmann, anunciou nesta segunda-feira (21) um plano do PT de reconstrução do Brasil de retomada econômica, que tem como baliza principal retirar o país da profunda crise política e social. 

O plano do PT de saída da crise baseia-se em cinco pontos principais: Desenvolvimento social, desenvolvimento sustentável, desenvolvimento econômico, soberania nacional e a radicalização da democracia.

Em sua visão, “o governo Bolsonaro, inimigo principal da democracia, quer envenenar a sociedade com ódio destilado nas fábricas de mentiras das milícias digitais”. 

Gleisi também criticou duramente a condução do governo no combate à pandemia, destacando que os “testes da Covid-19 foram sonegados por Bolsonaro, que tenta tirar proveito político de uma crise”. 

De acordo com a deputada, o Brasil precisa de um “governo fruto do voto popular, em eleição livre e limpa, o que exige anulação da sentença ilegal de Sérgio Moro”. 

Saiba mais sobre o plano de reconstrução do Brasil aqui. 

Confira: 

O conhecimento liberta. Saiba mais

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247