Golpe de 2016 ajudou a tirar 351 mil adolescentes da educação privada

As escolas privadas no Brasil perderam quase um terço (27%) de seus alunos de ensino médio comparando 2014 a 2018, perodo da recessão fabricada para criar as condições para o golpe de 2016. Isso corresponde a 351 mil estudantes a menos. Hoje, a maioria dos brasileiros defende educação pública de qualidade

(Foto: Leticia Toledo / Estudantes NINJA)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 – "Escolas privadas no Brasil perderam quase um terço (27%) de seus alunos de ensino médio comparando 2014 a 2018. Isso corresponde a 351 mil estudantes a menos. A avaliação de representantes do setor é que existe um conjunto de fatores que causa essa queda. Eles passam por crise econômica agravada em 2015, abertura de institutos federais de educação a partir de 2013, Prouni e o salto no valor da mensalidade", aponta reportagem do jornalista Bruno Alfano, publicada no jornal O Globo.

A recessão de 2015 a 2018, uma das mais graves da história do Brasil, foi produzida e amplificada pelas forças golpistas, lideradas pelo PSDB e pelo MDB, para criar as condições para o golpe contra a ex-presidente Dilma Rousseff. No entanto, políticas públicas também contribuíram para este resultado.""

— Fomos muito prejudicados em dois momentos. Primeiro com a lei do Prouni (que oferece bolsas em faculdades privadas), no começo da década, que só é destinada a alunos que fizeram o ensino médio na rede pública, o que não acho correto. O outro foi a proliferação dos institutos federais de educação, onde os alunos encontram um ensino com qualidade parecida e de graça — avalia Ademar Batista Pereira, presidente do Sindicato das Escolas Particulares (Sinepe) nacional.

O conhecimento liberta. Saiba mais

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247