Governador do Pará destitui delegado após ação polêmica que prendeu brigadistas

O governador do Pará, Hélder Barbalho (MDB), anunciou que destituiu o atual delegado que preside o inquérito da prisão preventiva de quatro brigadistas de Alter do Chão, José Humberto de Melo. O novo ocupante do cargo é Waldir Freire Cardoso. Aumenta a crise nas investigações que acusam ONGs de provocarem incêndios na região

Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - O governador do Pará, Hélder Barbalho (MDB), anunciou nesta quinta-feira (28) que destituiu o atual delegado que preside o inquérito da prisão preventiva dos quatro brigadistas de Alter do Chão, José Humberto de Melo. O novo ocupante do cargo é Waldir Freire Cardoso. 

Quatro brigadistas são acusados de terem provocado incêndios na região, uma ação da polícia que tem consonância com o discurso de Jair Bolsonaro, no sentido de responsabilizar ONGs pelas queimadas na Amazônia em meio à falta de respostas do governo para um das maiores crises ambientais do País, o que gerou repúdio até do exterior. 

Segundo Barbalho, a escolha por Waldir Freire se dá por sua atuação como diretor da Delegacia Especializada em Meio Ambiente e, portanto, por seu conhecimento técnico da área. "O caso requer atenção e toda a transparência necessária. Ninguém está acima da lei, mas, ao mesmo tempo, ninguém pode ser vítima de pré-julgamento ou ter seu direito de defesa cerceado", disse o governador. 

Em nota, o governo do Pará afirmou que não está interferindo nas investigações da Polícia Civil do Estado, que é autônoma, "e não tem o poder de realizar prisões sem autorização judicial".

"Por fim, caso a conclusão das investigações apure crime, trata-se de fato isolado. O Governo do Pará reitera que as ONGs são fundamentais para a preservação das florestas no Estado, e que o Executivo continua parceiro de todas as instituições e entidades que respeitam as leis brasileiras", diz a nota.

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

Cortes 247

Apoie o 247

WhatsApp Facebook Twitter Email