Governo Bolsonaro faz reunião com caminhoneiros para tentar barrar greve

Temendo uma greve dos caminhoneiros a exemplo da registrada no ano passado, o governo Jair Bolsonaro convidou, Wanderlei Loureira Alves, conhecido como Dedeco, que lidera uma das alas da categoria mais críticas ao governo, para uma reunião com o ministro da Infraestrutura, Tarcísio Gomes de Freitas; presidente da Confederação Nacional dos Transportadores Autônomos (CNTA), Diumar Bueno, também deverá participar do encontro; categoria ameaça paralisar as atividades a partir do dia 29 deste mês

Governo Bolsonaro faz reunião com caminhoneiros para tentar barrar greve
Governo Bolsonaro faz reunião com caminhoneiros para tentar barrar greve (Foto: Reuters)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - Temendo uma greve dos caminhoneiros a exemplo da registrada no ano passado, o governo Jair Bolsonaro convidou, Wanderlei Loureira Alves, conhecido como Dedeco, que lidera uma das alas da categoria mais críticas ao governo, para uma reunião com o ministro da Infraestrutura, Tarcísio Gomes de Freitas. O presidente da Confederação Nacional dos Transportadores Autônomos (CNTA), Diumar Bueno, também deverá participar do encontro marcado para a tarde desta segunda-feira (22), em Brasília.

Na semana passada, a CNTA ressaltou que o aumento de R$ 0,10 no preço do litro do óleo diesel aumentou a inquietação dos caminhoneiros que já "carrega desde o ano passado a frustração de não ter a lei do valor mínimo do frete cumprida". Caso não tenha as suas reivindicações atendidas, a categoria ameaça paralisar as atividades a partir do dia 29 deste mês.

 

O conhecimento liberta. Saiba mais

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247