Governo decide retomar mineração de urânio e ampliar programa nuclear com parcerias privadas

O governo pretende retomar a mineração de urânio em território nacional como estratégia para ampliar o programa nuclear brasileiro. O ministro de Minas e Energia, Bento Albuquerque, disse que isto não é apenas um desejo, mas uma decisão política que será adotada

Exploração de urânio deve ser aberta ao setor privado
Exploração de urânio deve ser aberta ao setor privado (Foto: Reprodução)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - O governo Bolsonaro pretende retomar depois de cinco anos, a mineração de urânio a fim de ampliar o programa nuclear brasileiro, informa o jornal O Estado de S.Paulo

O ministro de Minas e Energia, Bento Albuquerque, disse que isto corresponde a uma decisão política que será adotada.  

A exploração será feita pela estatal Indústrias Nucleares do Brasil (INB), mas a ideia do governo, diante das restrições do Orçamento para realizar investimentos, é firmar parcerias com a iniciativa privada para explorar o potencial de urânio em território nacional, assinala a reportagem. 

O Brasil é possuidor da sétima reserva geológica de urânio do mundo – atrás de Austrália, Casaquistão, Canadá, Rússia, África do Sul e Nigéria. Sua exploração é monopólio constitucional da União. Hoje, apenas a estatal INB pode atuar na área.  

Apesar do dispositivo constitucional, o governo considera possível firmar parcerias em casos específicos, particularmente quando a presença de urânio é minoritária em uma reserva. 

Por isso, a INB formou o consórcio com o Grupo Galvani, que deve começar a operar até o início de 2024, no Ceará. Para o ministro, esse será o primeiro passo para a formação de outras parcerias.  

Leia a íntegra da reportagem

O conhecimento liberta. Saiba mais

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247