Governo discriminou a Globo e privilegiou clientes particulares de Wajngarten

A Secretaria de Comunicação Social da Presidência da República (Secom) discriminou a Globo, líder em audiência, e privilegiou clientes de Waingarten e canais de TV ligados a grupos religiosos alinhados a Bolsonaro na campanha publicitária da reforma da Previdência

(Foto: Reprodução/TV Brasil)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - A Secom (Secretaria de Comunicação Social da Presidência da República) privilegiou na campanha publicitária sobre a reforma da Previdência canais de televisão que são clientes particulares de Fábio Waingarten, titular da Secretaria. A Glogo, líder nacional de audiência, foi discriminada.

Também as emissoras religiosas alinhadas com o Palácio do Planalto abocanharam as maiores verbas. 

A denúncia é da Folha de S.Paulo, em reportagem dos jornalistas Fábio Fabrini e Julio Wiziack publicada nesta segunda-feira (27). 

Segundo a reportagem, "o plano de mídia excluiu a Globo nacional da lista de contratadas". A Globo é a missora de maior audiência do país. 

O conhecimento liberta. Saiba mais

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247