Governo diz que sem crédito suplementar só tem dinheiro até junho

O secretário do Tesouro Nacional, Mansueto Almeida, disse que se não tiver o crédito suplementar aprovado pelo Congresso, a situação do governo do presidente Jair Bolsonaro vai ficar "difícil"; segundo ele, só tem dinheiro até "meados de junho"

Governo diz que sem crédito suplementar só tem dinheiro até junho
Governo diz que sem crédito suplementar só tem dinheiro até junho (Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - O secretário do Tesouro Nacional, Mansueto Almeida, endossou o clima de terror e disse nesta quarta-feira (29) que o governo estará em uma situação "difícil" se o Congresso Nacional não aprovar em até 15 dias um projeto que libera crédito suplementar.

Antes, o ministro da Economia, Paulo Guedes, afirmou qe a negociação para que o Congresso aprove uma autorização especial para um crédito suplementar de R$ 248, 9 bilhões "embananou de novo" e, por isso, propôs reduzir o pedido de crédito suplementar para R$ 146,7 bilhões. Segundo ele, caso o Congresso não aprove, há risco de calote por parte do governo já a partir do dia 1 de julho.

O governo do presidente Jair Bolsonaro diz que a aprovação do projeto é necessária para que seja respeitada a chamada "regra de ouro" - norma constitucional que impede o governo de contrair dívida para cobrir despesas correntes, como o pagamento de salário de servidores, isto é, admite o endividamento do governo somente para fazer investimentos.

As despesas estimadas para 2019 superam a arrecadação. Segundo Mansueto, o governo só tem dinheiro até "meados de junho".

"Mais ou menos 14 ou 15 de junho. Se ele [crédito suplementar] não for aprovado até aí, a gente vai começar a ter problema com algumas despesas. Eventualmente, você pode remanejar alguma coisa, mas vai ficar difícil", disse.

O secretário disse ainda que o Plano Safra 2019/2020, programa anual de subvenção à agricultura, previsto para ser lançado em junho, "possivelmente poderia ter um problema de atraso".

 

O conhecimento liberta. Saiba mais

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247