Bolsonaro acaba com programa de agentes de saúde do SUS, denuncia Érika Kokay

Através de decreto, Jair Bolsonaro extinguiu 27,6 mil cargos efetivos; ministério da Saúde será o mais afetado. Medida também proíbe a realização de concurso público para uma série de cargos de instituições. "É um golpe duríssimo na atenção básica à saúde e na população mais pobre", denuncia a deputada Erika Kokay (PT-DF)

Jair Bolsonaro
Jair Bolsonaro (Foto: Marcos Corrêa/PR)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247  - O governo decidiu extinguir 27.611 cargos efetivos do seu quadro de pessoal, por meio de um decreto do presidente Jair Bolsonaro. Segundo informa reportagem do jornal O Globo, o texto proíbe a realização de concurso público para uma série de cargos de instituições de ensino vinculadas ao Ministério da Educação (MEC).

O órgão mais impactado pela medida será o Ministério da Saúde. Serão cortados 22.476 cargos, o que representa cerca de 81% do total. Apenas para o Agente de Saúde Pública serão extintos 10.661 cargos.

A deputada Erika Kokay (PT-DF) diz que a medida "é um golpe". "Numa canetada só, Bolsonaro extingue mais de 27 mil cargos e proíbe a realização de novos concursos. A medida é gravíssima e praticamente acaba com o programa de  agentes de saúde do SUS. É um golpe duríssimo na atenção básica à saúde e na população mais pobre". 

Participe da campanha de assinaturas solidárias do Brasil 247. Saiba mais.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247