Governo quer aumentar verba privada no orçamento das federais

O Ministério da Educação lançou o programa Future-se para aumentar a participação de verbas privadas no orçamento universitário; o ministro Abraham Weintraub já havia anunciado bloqueio de verba, o que abre espaço para a ingerência da iniciativa privada, assim como a medida lançada nesta quarta-feira (17)

(Foto: Divulgação)

247 - O Ministério da Educação lançou o programa Future-se para aumentar a participação de verbas privadas no orçamento universitário. O ministro Abraham Weintraub já havia anunciado bloqueio de verba, o que abre espaço para a ingerência da iniciativa privada, assim como a medida lançada nesta quarta-feira (17). Sem formação ou experiencia em gestão de politicas educacionais, ele trabalhou 18 de seus 47 anos no Banco Votorantim, onde foi economista-chefe e diretor. Depois foi demitido e seguiu para a Quest Corretora.

A ideia do novo programa é que as universidades possam celebrar contratos de gestão compartilhada do patrimônio imobiliário da universidade e da União. As reitorias poderão fazer PPPs, comodato ou cessão dos prédios e lotes; criar fundos patrimoniais (endowment), com doações de empresas ou ex-alunos, para financiar pesquisas ou investimentos de longo prazo. 

As instituições de ensino também poderão ceder os “naming rights” de campi e edifícios, assim como acontece nos estádios de futebol que levam nomes de bancos ou seguradoras; criar ações de cultura que possam se inscrever em editais da Lei Rouanet ou outros de fomento.

O MEC fará uma consulta pública sobre o programa nos próximos 30 dias, pela internet. 

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247