Governo quer trocar comando da PF

No cargo desde 2011, Leandro Daiello perdeu a confiança do governo depois do episódio da gravação telefônica, feita pela PF com autorização do juiz Sergio Moro, do Paraná, entre o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva e a presidente Dilma Rousseff; o ministro da Justiça, Eugênio Aragão deve apresentar um nome nas próximas semanas para a presidente, mas cabe a Dilma Rousseff a decisão na nomeação

No cargo desde 2011, Leandro Daiello perdeu a confiança do governo depois do episódio da gravação telefônica, feita pela PF com autorização do juiz Sergio Moro, do Paraná, entre o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva e a presidente Dilma Rousseff; o ministro da Justiça, Eugênio Aragão deve apresentar um nome nas próximas semanas para a presidente, mas cabe a Dilma Rousseff a decisão na nomeação
No cargo desde 2011, Leandro Daiello perdeu a confiança do governo depois do episódio da gravação telefônica, feita pela PF com autorização do juiz Sergio Moro, do Paraná, entre o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva e a presidente Dilma Rousseff; o ministro da Justiça, Eugênio Aragão deve apresentar um nome nas próximas semanas para a presidente, mas cabe a Dilma Rousseff a decisão na nomeação (Foto: Roberta Namour)

247 - O governo busca um substituto para Leandro Daiello na diretoria-geral da Polícia Federal em até 30 dias, segundo reportagem de Fernando Colon.

O motivo seria o episódio da gravação telefônica, feita pela PF com autorização do juiz Sergio Moro, do Paraná, entre o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva e a presidente Dilma Rousseff. Daielle estava no cargo desde 20111.

O ministro da Justiça, Eugênio Aragão deve apresentar um nome nas próximas semanas para a presidente, mas cabe a Dilma Rousseff a decisão na nomeação.

Pela legislação aprovada em 2014, o diretor-geral da PF deve ser do quadro de delegados da instituição no mais alto nível da carreira, chamado de "classe especial" (leia aqui).

Conheça a TV 247

Mais de Brasil

Ao vivo na TV 247 Youtube 247