Grupos de extermínio são suspeitos da morte da juíza

Assassinato de Patrcia Acioli pode ter sido crime encomendado por milicianos que atuam na regio de So Gonalo

Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

As investigações sobre o assassinato da juíza Patrícia Lourival Acioli indicam crime encomendado por integrantes de grupos de extermínio e de milicianos que atuam em São Gonçalo. Titular da 4.ª Vara Criminal do município, a magistrada, de 47 anos, ganhou notoriedade pelas condenações rigorosas.

Ontem, ao chegar à Delegacia de Homicídios, o presidente da Associação dos Magistrados do Brasil, desembargador Nelson Calandra, deixou escapar que a polícia estaria trabalhando com a possibilidade de um grupo de envolvidos no assassinato. “Dos 12 que praticaram o atentado que vitimou a nossa colega, muitos devem ter condenações anteriores, que ficam transitando em quatro instâncias e só são cumpridas quando o Supremo Tribunal Federal determina”, relatou. Calandra reuniu-se com a chefe de Polícia Civil, Martha Rocha, e com o diretor do Departamento de Homicídios, Felipe Ettore.

Martha, que acompanha pessoalmente o caso, não deu detalhes sobre as investigações. Contrariada, a delegada disse que “o silêncio neste momento é importante”. Até a tarde de ontem, 18 depoimentos de parentes e vizinhos da vítima haviam sido tomados. O vigia da guarita de acesso à rua da juíza confirmou ter visto dois homens em uma moto, que interceptaram o carro da magistrada.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como:

• Cartão de crédito na plataforma Vindi: acesse este link

• Boleto ou transferência bancária: enviar email para [email protected]

• Seja membro no Youtube: acesse este link

• Transferência pelo Paypal: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo Patreon: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo Catarse: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo Apoia-se: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo Vakinha: acesse este link

Inscreva-se também na TV 247, siga-nos no Twitter, no Facebook e no Instagram. Conheça também nossa livraria, receba a nossa newsletter e ative o sininho vermelho para as notificações.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247