Gurgel perde no STF e terá que abrir gastos da PGR

Ministra Cármen Lúcia indeferiu pedido do procurador-geral da República para que não seja obrigado a mostrar gastos de sua gestão, com itens como carros e iPads, para o Conselho Nacional do Ministério Público; no Senado, nome indicado por ele para o CNMP foi vetado; dentro de poucos dias, ele deixa o comando do Ministério Público

Gurgel perde no STF e terá que abrir gastos da PGR
Gurgel perde no STF e terá que abrir gastos da PGR

247 – O procurador-geral da República, Roberto Gurgel, saiu derrotado novamente no STF em sua tentativa de não abrir os gastos de sua gestão para o Conselho Nacional do Ministério Público, que fiscaliza a procuradoria. A decisão foi da ministra Carmen Lúcia, que indeferiu seu pedido por falta de transparência.

No Senado, o indicado pelo procurador-geral da República, Roberto Gurgel, para o Conselho Nacional do Ministério Público (CNMP), Vladimir Barros Arras, foi vetado pelo plenário.

Leia a informação de Mônica Bergamo, da Folha:

CAIXA ABERTA

O procurador-geral da República, Roberto Gurgel, teve nova derrota na tentativa de impedir a divulgação de detalhes sobre gastos de sua gestão com itens como carros e iPads. A ministra Cármen Lúcia indeferiu, no STF (Supremo Tribunal Federal), pedido dele para que não seja obrigado a mostrar as informações para o Conselho Nacional do Ministério Público, que fiscaliza a procuradoria.

CAIXA 2

A ministra manteve, assim, decisão anterior do colega Teori Zavascki, que já tinha negado pedido de liminar de Gurgel para o caso.

CAIXA 3

Gurgel alega que o pedido de informações não poderia partir de um só conselheiro, sem qualquer denúncia que o embase. O autor do requerimento de informações é Luiz Moreira. Ele é amigo de José Genoino (PT-SP), e por isso procuradores ligados a Gurgel apontam retaliação por causa do mensalão. Moreira diz que apenas cumpre seu papel fiscalizador.

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247