Guru de Bolsonaro, Olavo diz que educação sexual gera putaria nas escolas

Depois de emplacar dois ministros, o escritor Olavo de Carvalho volta a atacar a esquerda, a universidade e qualquer um que ouse discordar de suas ideias. Sobre educação sexual nas escolas, ele diz: "Quanto mais educação sexual, mais putaria nas escolas. No fim, está ensinando criancinha a dar a bunda, chupar pica, espremer peitinho da outra em público". Carvalho ainda critica os 'gayzistas' e o aquecimento global que, como o chanceler Ernesto Araújo, julga não existir

Guru de Bolsonaro, Olavo diz que educação sexual gera putaria nas escolas
Guru de Bolsonaro, Olavo diz que educação sexual gera putaria nas escolas

247 - Depois de emplacar dois ministros, o escritor Olavo de Carvalho volta a atacar a esquerda, a universidade e qualquer um que ouse discordar de suas ideias. Sobre educação sexual nas escolas, ele diz: "Quanto mais educação sexual, mais putaria nas escolas. No fim, está ensinando criancinha a dar a bunda, chupar pica, espremer peitinho da outra em público". Carvalho ainda critica os 'gayzistas' e o aquecimento global que, como o chanceler Ernesto Araújo, julga não existir. 

Em entrevista ao jornal Folha de São Paulo, o guru de Bolsonaro desqualifica de antemão toda crítica que possa ser feita contra ele e celebra a ascensão da direita conservadora no Brasil. Carvalho diz que o Brasil viveu uma ditadura da esquerda, que todos os meios de comunicação são tomados por ideias esquerdistas e que 'finalmente', a democracia ressurgiu com a eleição de Bolsonaro. 

Carvalho mergulha na iconoclastia como registro básico para toda e qualquer ideia a ser formulada. Para ele, o mundo todo está errado e só ele está certo. Torna-se, assim, muito atrativo para os Bolsonaros, pai e filhos, que veem no discurso de Carvalho, a panaceia para chancelar os projetos extravagantes de poder e de controle social. 

Sobre sua relação com Bolsonaro, ele diz: "minha relação com ele é, literalmente nenhuma. Eu tive um hangout (conversa por aplicativo) com ele. Conversei com ele por telefone três vezes, com o filho umas duas ou três, dois deles estiveram aqui por algumas horas. Isso foi tudo.

O escritor ainda fala sobre ofertas que recebeu para compor o novo governo: "Me ofereceram dois ministérios, da Educação e da Cultura. Eu rejeitei os dois. Se fosse para aceitar um cargo público, o único que eu aceitaria seria esse. Por quê? Motivo muito simples, eu odeio isso, isso para mim seria a minha morte. Mas o Brasil precisa de dinheiro. E onde é lugar para buscar dinheiro? É aqui, porra!"

Carvalho comenta também sobre sua contribuição para a ascensão da direita no Brasil: "o que eu fiz foi o seguinte: arrebentar com a hegemonia intelectual esquerdista em algumas áreas do país. Isso eu fiz basicamente com dois livros, na verdade, três: 'A Nova Era e a Revolução Cultural', 'O Imbecil Coletivo' e 'O Mínimo que Você Precisa Saber para não Ser um Idiota'. Esses três livros provocaram um furor no meio esquerdista, mas nunca foram respondidos à altura. No mundo, a intelectualidade esquerdista também caiu. Sobraram só dois que pensam, que são David Harvey e o Antonio Negri. Como a intelectualidade brasileira é dependente do exterior, a queda da intelectualidade esquerdista internacional provocou o fim da intelectualidade esquerdista brasileira."

 

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247