Haddad nega uso de caixa 2 e diz que confrontou interesses de empreiteira

O ex-prefeito e candidato a vice-presidente na chapa do ex-presidente Lula, Fernando Haddad, disse, em nota, que já demonstrou mediante o fornecimento de documentos que construtora UTC "teve seus interesses confrontados logo nos primeiros dias da gestão (...), principalmente com a suspensão da construção do túnel da Avenida Roberto Marinho, onde a obra mostrava indícios claros de sobrepreço"; declaração rebate acusação de improbidade administrativa e enriquecimento ilícito movida pelo MP

Haddad nega uso de caixa 2 e diz que confrontou interesses de empreiteira
Haddad nega uso de caixa 2 e diz que confrontou interesses de empreiteira (Foto: Ricardo Stuckert)

247 - O ex-prefeito de São paulo e candidato a vice-presidente na chapa do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT), Fernando Haddad, disse, em nota, que já demonstrou, mediante o fornecimento de documentos, que "todo o material gráfico produzido em sua campanha (a prefeito em 2012) foi declarado e que não havia razão para receber qualquer recurso não declarado da UTC". Declaração de Haddad rebate acusação movida pelo Ministério Público de São Paulo que o acusa de improbidade administrativa e enriquecimento ilícito.

Segundo o MP, Haddad "tinha pleno domínio" sobre o fato da empreiteira UTC ter pago uma dívida de campanha no valor de R$ 2,6 milhões por meio de caixa 2. Na nota, ele destaca que a construtora "teve seus interesses confrontados logo nos primeiros dias da gestão Haddad na Prefeitura de São Paulo, principalmente com a suspensão da construção do túnel da Avenida Roberto Marinho, onde a obra mostrava indícios claros de sobrepreço".

A ação do MP foi baseada nas delações premiadas do ex-presidente da UTC Ricardo Pessoa e do ex-diretor da empreiteira Walmir Pinheiro. Além de Haddad, os promotores pedem a condenação de outros seis acusados e o ressarcimento de R$ 15,1 milhões aos cofres públicos.

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247