Heleno manda índios isolados irem ao SUS em reunião sobre proteção dos povos na pandemia

Na primeira reunião do gabinete de crise criado por determinação do STF, ministro que deveria coordenar os trabalhos atacou indígenas e criticou realização do encontro

Ministro Augusto Heleno 10/07/2019
Ministro Augusto Heleno 10/07/2019 (Foto: REUTERS/Adriano Machado)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

Revista Fórum - A primeira reunião do gabinete de crise criado por decisão do Supremo Tribunal Federal para proteger comunidades indígenas na pandemia de coronavírus desagradou representantes dos principais povos e o Ministério Público Federal. Declarações do general Augusto Heleno tornaram um encontro em um fiasco, segundo informações obtidas pela revista Veja.

O ministro do Gabinete de Segurança Institucional do governo Jair Bolsonaro é o responsável por coordenar os trabalhos do gabinete de crise, que tem como objetivo encontrar soluções para a proteção de índios isolados e de recente contato, os mais vulneráveis à covid-19. A reunião ocorreu por videoconferência.

Participantes relataram que esse objetivo não foi abordado corretamente e que o Heleno afirmou que a questão indígena deveria ter sido resolvida há 50 anos no Brasil. O ministro disse ainda que os povos encontrados fora de terras demarcadas serão tratados como produtores rurais e orientados a buscar o atendimento do SUS como qualquer cidadão.

Confira a reportagem completa na Revista Fórum.

Participe da campanha de assinaturas solidárias do Brasil 247. Saiba mais.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247