Hildegard Angel recebe certidão de óbito da mãe e do irmão, assassinados pela ditadura

A jornalista Hildegard Angel recebeu, depois de quase 50 anos, as certidões de óbito do irmão, o estudante Stuart Angel, e da mãe, a estilista Zuzu Angel, assassinados pela ditadura militar na década de 1970, informa a jornalista Mônica Bergamo em sua coluna da Folha de S.Paulo

Stuart e Zuzu Angel
Stuart e Zuzu Angel (Foto: Arquivo)

247 - A jornalista Hildegard Angel recebeu, depois de quase 50 anos, as certidões de óbito do irmão, o estudante Stuart Angel, e da mãe, a estilista Zuzu Angel, assassinados pela ditadura militar na década de 1970, informa a jornalista Mônica Bergamo em sua coluna da Folha de S.Paulo. 

Os documentos apontam como causa “morte não natural, violenta, causada pelo Estado brasileiro, no contexto da perseguição sistemática e generalizada a população identificada como opositora política ao regime ditatorial de 1964 a 1985”.  

Stuart Angel foi preso e torturado até a morte na base aérea do Galeão, no Rio de Janeiro, em 1971. Zuzu morreu cinco anos depois após um acidente de carro planejado pela ditadura.  

A procuradora Eugênia Gonzaga, que emitiu a declaração no exercício da presidência da Comissão Especial sobre Mortos e Desaparecidos Políticos, foi afastada do cargo neste ano por Jair Bolsonaro.   

Bolsonaro, defensor da ditadura militar, fez reiteradas vezes declarações a favor da tortura a presos políticos, prática recorrente durante a vigência do regime militar (1964-1985).

Conheça a TV 247

Mais de Brasil

Ao vivo na TV 247 Youtube 247