Índice de Educação mostra avanço no ensino fundamental

Mas, com o ensino médio, o Ministério da Educação, de Aloizio Mercadante, terá mais trabalho, pois o Ideb indica piora em nove Estados

Índice de Educação mostra avanço no ensino fundamental
Índice de Educação mostra avanço no ensino fundamental (Foto: Elza Fiúza/Agência Brasil)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

Agência Brasil - A educação brasileira avançou nos últimos dois anos. É o que aponta o Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (Ideb). Em 2011, o Brasil atingiu a meta em todos os níveis do ensino básico: anos iniciais do ensino fundamental, anos finais do ensino fundamental e ensino médio.

Nos anos iniciais do ensino fundamental a meta foi superada em 0,4 ponto atingindo 5,0 pontos, ultrapassando não só a meta para 2011, mas também a meta proposta para 2013, que é de 4,9. Nesse nível de ensino, todos os estados e o Distrito Federal alcançaram suas metas. Os destaques são Ceará e Piauí, que superaram o índice proposto para 2011 em 0,9 e 0,8, respectivamente.

Considerando apenas as escolas públicas da rede municipal e estadual, o país também ficou acima do índice de 4,4 pontos proposto para o ano passado com 4,7 pontos. O Ceará novamente é o destaque transpondo 1,1 pontos, alcançando 4,7 de desempenho.

O Ideb para os anos iniciais do ensino fundamental na rede pública foi calculado em 5.222 municípios brasileiros e 4.060 (77,5%) alcançaram a meta para 2011. A região Centro-Oeste teve o melhor resultado, com 85,9% dos municípios atingindo o índice proposto. Mato Grosso do Sul, Minas Gerais, Ceará e Acre tiveram sucesso em mais de 95%.

Nos anos finais do ensino fundamental o índice nacional também superou a meta de 2011 chegando a 4,1 pontos, o resultado é 0,2 ponto superior ao proposto. Mato Grosso, com 4,5 ponto, obteve o Ideb com 1 ponto acima da meta; Ceará (4,2) e Amazonas (3,8), também apresentaram melhoras significativas, ambos 0,6 ponto melhores que o estimado. Sete estados, entretanto, não alcançaram as metas: Sergipe, Rondônia, Roraima, Pará, Rio Grande do Sul e Espírito Santo.

A rede pública, nos anos finais, também ficou 0,2 ponto acima da sua meta estipulada para 2011, que era de 3,7 ponto. O resultado mostra que desenvolvimento deste nível educacional tem sido constante. Desde 2005, o índice evoluiu 0,7 ponto. De todos os municípios com Ideb, 62,5% atingiram suas metas. Ceará e Amazonas registram mais de 90% dos municípios com a meta cumprida.

O Ideb nacional do ensino médio igualou a meta de 3,7 pontos definida para 2011, representando um avanço de 0,1 ponto em relação a 2009. O Distrito Federal e mais 11 estados não conseguiram atingir as suas metas.

Entre as escolas estaduais, que representam 97% das matrículas na rede pública, o índice se manteve estável em relação à última edição, em 3,4 ponto. O valor ainda é superior a meta proposta de 3,3 pontos para 2011. O melhor índice é o de Santa Catarina, o único estado a atingir 4,0 pontos. O cálculo do índice para o ensino médio, diferentemente do ensino fundamental, é feito em uma amostra de escolas.

O Ideb é calculado multiplicando as notas em língua portuguesa e matemática obtidas na Prova Brasil e no Sistema Nacional de Avaliação da Educação Básica (Saeb), padronizado pela taxa média de aprovação percentual, variando de zero a cem.

Ensino médio

Se os dados do Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (Ideb) de 2011 indicam melhora na qualidade nos primeiros anos do ensino fundamental, os resultados não são animadores no ensino médio. Entre 2009 e 2011, o Ideb do ensino médio subiu apenas 0,1 ponto, passando de 3,6 para 3,7. A meta nacional esperada para o período foi atingida, mas em nove estados o índice piorou em relação à edição anterior.

O ministro da Educação, Aloizio Mercadante, argumentou que “internacionalmente” o ensino médio continua sendo um “grande desafio” para qualquer sistema educacional. Ele defendeu que o currículo da etapa precisa ser reformulado porque é muito sobrecarregado. Em algumas redes de ensino, o total de disciplinas chega a 19. “É uma sobrecarga muito grande que não contribui para você ter foco nas disciplinas essenciais, como língua portuguesa, matemática e ciências”, disse.

Outro problema do ensino médio, segundo Mercadante, é a falta de professores com formação específica para algumas áreas, como matemática e ciências, além da alta concentração de matrículas no turno noturno – 30% dos jovens do ensino médio estudam à noite.

Vera Masagão, coordenadora-geral da organização não governamental Ação Educativa, aponta que o ensino médio é um nível subfinanciado. “A gente precisa de um investimento muito forte em qualidade e não é à toa que a matrícula também está aquém, poderia haver muito mais jovens matriculados no ensino médio que estão fora da escola”, disse.

Mercadante não quis comentar os resultados dos estados que tiveram Ideb inferior ao registrado em 2009. “Uma mesma região tem estados e cidades que evoluíram muito mais que outros. Há especificidades, a gestão na ponta. O professor na sala de aula, o diretor da escola, o secretário municipal. Vamos olhar essa informação e tentar tirar lições para avançar”, disse. O ministro aposta que a educação em tempo integral pode ser uma “grande resposta” para melhorar a qualidade do ensino.

Confira as notas dos estados no ensino médio:

Rondônia
Ideb 2009: 3,7 pontos
Ideb 2011: 3,7 pontos
Meta 2011: 3,5 pontos

Acre
Ideb 2009: 3,5 pontos
Ideb 2011: 3,4 pontos
Meta 2011: 3,5 pontos

Amazonas
Ideb 2009: 3,3 pontos
Ideb 2011: 3,5 pontos
Meta 2011: 2,7 pontos

Roraima
Ideb 2009: 3,4 pontos
Ideb 2011: 3,6 pontos
Meta 2011: 3,8 pontos

Pará
Ideb 2009: 3,1 pontos
Ideb 2011: 2,8 pontos
Meta 2011: 3,1 pontos

Amapá
Ideb 2009: 3,1 pontos
Ideb 2011: 3,1 pontos
Meta 2011: 3,2 pontos

Tocantins
Ideb 2009: 3,4 pontos
Ideb 2011: 3,6 pontos
Meta 2011: 3,4 pontos

Maranhão
Ideb 2009: 3,2 pontos
Ideb 2011: 3,1 pontos
Meta 2011: 3 pontos

Piauí
Ideb 2009: 3 pontos
Ideb 2011: 3,2 pontos
Meta 2011: 3,2 pontos

Ceará
Ideb 2009: 3,6 pontos
Ideb 2011: 3,7 pontos
Meta 2011: 3,6 pontos

Rio Grande do Norte
Ideb 2009: 3,1 pontos
Ideb 2011: 3,1 pontos
Meta 2011: 3,2 pontos

Paraíba
Ideb 2009: 3,4 pontos
Ideb 2011: 3,3 pontos
Meta 2011: 3,3 pontos

Pernambuco
Ideb 2009: 3,3 pontos
Ideb 2011: 3,4 pontos
Meta 2011: 3,3 pontos

Alagoas
Ideb 2009: 3,1 pontos
Ideb 2011: 2,9 pontos
Meta 2011: 3,3 pontos

Sergipe
Ideb 2009: 3,2 pontos
Ideb 2011: 3,2 pontos
Meta 2011: 3,6 ponto

Bahia
Ideb 2009: 3,3 pontos
Ideb 2011: 3,2 pontos
Meta 2011: 3,2 pontos

Minas Gerais
Ideb 2009: 3,9 pontos
Ideb 2011: 3,9 pontos
Meta 2011: 4,1 pontos

Espírito Santo
Ideb 2009: 3,8 pontos
Ideb 2011: 3,6 pontos
Meta 2011: 4,1 pontos

Rio de Janeiro
Ideb 2009: 3,3 pontos
Ideb 2011: 3,7 pontos
Meta 2011: 3,6 pontos

São Paulo
Ideb 2009: 3,9 pontos
Ideb 2011: 4,1 pontos
Meta 2011: 3,9 pontos

Paraná
Ideb 2009: 4,2 pontos
Ideb 2011: 4 pontos
Meta 2011: 3,9 pontos

Santa Catarina
Ideb 2009: 4,1 pontos
Ideb 2011: 4,3 pontos
Meta 2011: 4,1 pontos

Rio Grande do Sul
Ideb 2009: 3,9 pontos
Ideb 2011: 3,7 pontos
Meta 2011: 4 pontos

Mato Grosso do Sul
Ideb 2009: 3,8 pontos
Ideb 2011: 3,8 pontos
Meta 2011: 3,6 pontos

Mato Grosso
Ideb 2009: 3,2 pontos
Ideb 2011: 3,3 pontos
Meta 2011: 3,4 pontos

Goiás
Ideb 2009: 3,4 pontos
Ideb 2011: 3,8 pontos
Meta 2011: 3,5 pontos

Distrito Federal
Ideb 2009: 3,8 pontos
Ideb 2011: 3,8 pontos
Meta 2011: 3,9 pontos

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

WhatsApp Facebook Twitter Email