Indulto de Bolsonaro a policiais pode incluir homicídio

Jair Bolsonaro anunciou que vai liberar o indulto de Natal a policiais que cometeram homicídio, ao mesmo tempo que pretende incluir, no decreto, outros crimes que vedariam a possibilidade de receber o benefício

Jair Bolsonaro
Jair Bolsonaro (Foto: REUTERS/Adriano Machado)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - Jair Bolsonaro vai liberar o inulto natalino a policiais que cometeram homicídio. Técnicos analisam também a proibição de que seja concedido o benefício aos agentes de segurança condenados por delitos contra a dignidade sexual, pedofilia, corrupção e organização criminosa. 

O decreto de indulto, que será publicado até sexta-feira (20) está sendo elaborado pelo Ministério da Justiça e pela Secretaria-Geral da Presidência. 

Segundo reportagem de O Globo, o texto trará um formato pouco usual — de estabelecer regras específicas para uma categoria profissional: a de policiais, que fazem parte da base eleitoral de Bolsonaro.

O decreto também definirá que não estão aptos a receber o perdão da pena condenados — incluindo policiais — por crimes hediondos, tortura, tráfico de drogas e terrorismo, conforme vedado pela Constituição. São considerados hediondos, pela legislação brasileira, alguns tipos de homicídio: como os praticados em atividade típica de grupo de extermínio e o delito na forma qualificada, como, por exemplo, quando cometido por motivo fútil ou mediante recompensa.


A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247