Insatisfação de Bolsonaro com Moro cresce e fritura está em andamento

Bolsonaro chegou, em um rompante, a dizer que não gostaria mais de ter Moro em sua equipe. O ex-juiz também se sente desconfortável com o processo de "fritura" que está sofrendo, sobretudo de nomes ligados ao núcleo familiar do clã Bolsonaro

Sergio Moro e Jair Bolsonaro
Sergio Moro e Jair Bolsonaro (Foto: Carolina Antunes/PR)

247 - Reportagem do portal Valor Econômico revela que Jair Bolsonaro tem manifestado a interlocutores insatisfação com o ministro da Justiça e Segurança Pública, Sergio Moro. O ex-juiz também se sente desconfortável com o processo de "fritura" que está sofrendo, sobretudo de nomes ligados ao núcleo familiar do clã Bolsonaro. 

Segundo revela a reportagem, o descontentamento de Bolsonaro com Moro aumentou nos últimos dias e o pivô dessa história é Conselho de Controle de Atividades Financeiras (Coaf).

Bolsonaro relatou a deputados que não gostou de ter ficado sabendo pela imprensa de uma reunião entre Moro e o presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), Dias Toffoli, em que o ministro teria criticado a decisão de suspender o compartilhamento de informações do Coaf. A medida beneficiou diretamente o primogênito do presidente, o senador Flávio Bolsonaro (PSL-RJ).

Em outro movimento hostil a Moro, Bolsonaro disse ontem que o governo não irá pressionar o Congresso pela aprovação do pacote anticrime, uma das bandeiras do ex-juiz. "O ministro Moro é da Justiça, mas ele não tem poder de... não julga mais ninguém. Entendo a angústia dele em querer que o projeto dele vá para a frente, mas nós temos que diminuir o desemprego, fazer o Brasil andar, abrir o nosso comércio."

Uma fonte afirmou que Bolsonaro chegou, em um rompante, a dizer que não gostaria mais de ter Moro em sua equipe. No Planalto, porém, costuma-se dizer que "há dois ministros que não podem ser demitidos ou sair brigados do governo". Um deles é Guedes o outro, o próprio Moro.

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247