Iphan cria zona de proteção ao Plano Piloto de Brasília

Vinte e cinco anos aps conquistar o ttulo de Patrimnio Cultural da Humanidade, Braslia ganha normas de ocupao para reas que rodeiam o plano projetado por Lucio Costa; dez cidades vo precisar de permisso do instituto responsvel pelo patrimnio para construir

Iphan cria zona de proteção ao Plano Piloto de Brasília
Iphan cria zona de proteção ao Plano Piloto de Brasília (Foto: Andressa Anholete/247)

Brasília247 – Primeiro pedido da Organização das Nações Unidas para a Educação, Ciência e Cultura (Unesco) ao conceder o título de Patrimônio Cultural da Humanidade a Brasília em 1987, a zona de proteção às áreas que rodeiam o Plano Piloto finalmente foi criada pela Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan). Para preservar o projeto urbanístico e as características projetadas por Lucio Costa, o Iphan publicou o conjunto de normas no Diário Oficial da União de quarta-feira (22).

A zona de proteção da área tombada abrange pelo menos 10 cidades do Distrito Federal. Com as novas regras, projetos de construção de prédios em regiões como os lagos Sul e Norte, Guará, Águas Claras e Riacho Fundo, por exemplo, precisam ser submetidos à análise do órgão de proteção, dependendo da altura das edificações. Coincidentemente, a publicação das normas – que vinham sendo elaboradas havia dois anos – ocorreu três semanas antes da visita de técnicos da Unesco a Brasília.

Os dois arquitetos e urbanistas vêem checar denúncias de agressão ao tombamento. Eles ficam na capital de 13 a 17 de março. Apesar de ser o primeiro pedido do órgão a Brasília, a Unesco frisava anualmente por meio de relatórios a necessidade de se demarcar a área de proteção. Seis áreas foram criadas onde o limite de altura de novas construções deve variar de 5 a 95 metros, dependendo da proximidade com o Plano Piloto e do tipo de terreno da região.

Com a medida, o Iphan espera que o desenho de Brasília seja reconhecido de diversos pontos da cidade. Assim, a medida visa proteger a ideia de Lucio Costa de avistar o horizonte e a borda da bacia do Lago Paranoá de qualquer ponto da área tombada.

A primeira área definida abrange o Parque Nacional de Brasília; na sequência vem uma faixa de 500 metros situada próxima ao Lago Oeste, em Sobradinho. Já a terceira região engloba o Guará, Águas Claras, Vicente Pires e Núcleo Bandeirante

Informações do jornal Correio Braziliense.

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247